Sindicância do governo confirma que Ruth recebeu dinheiro sem trabalhar

Ruth Ciarlni teria recebido 12 plantões diurnos e mais quatro plantões extras, somando uma renda extra mensal em seu salário de R$ 3.164,38

Ciro Marques

Repórter de Política

Após o ressarcimento, Ruth Ciarlini continuou trabalhando normalmente no hospital Tarcísio Maia. Foto: Divulgação
Após o ressarcimento, Ruth Ciarlini continuou trabalhando normalmente no hospital Tarcísio Maia. Foto: Divulgação

A ex-vice-prefeita de Mossoró e irmã da governadora Rosalba, Ruth Ciarlini, realmente, recebeu da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) sem trabalhar. E quem afirma isso não é a Polícia Civil, que indiciou ela por estelionato e falsidade ideológica. A informação é da própria Sesap, que apurou, por meio de sindicância, que a funcionária pública foi beneficiada com pagamentos irregulares em 2013.

A notícia foi confirmada pela assessoria de imprensa da Sesap. O trabalho de apuração, aberto pelo próprio secretário de Saúde, Luiz Roberto Fonseca, constatou que Ruth Ciarlini, assistente social do hospital regional Tarcísio Maia, de Mossoró, recebeu de forma indevida e, por isso, cobrou da servidora o ressarcimento aos cofres públicos.

“Até dezembro, Ruth estava trabalhando como vice-prefeita de Mossoró. Regressou para o trabalho no mês de janeiro, mas em férias. Em fevereiro, março e abril ficou lotada no Hemocentro, em Mossoró. No dia 18 de abril, o hospital foi informado por ofício da segunda Unidade Regional de Saúde Pública que estaria, a partir de maio, no Hospital, como assistente social e com escala de plantões. O fato é que os plantões (de maio) não foram dados. Ela não compareceu aos plantões. Então, a determinação da secretaria é corte dos plantões, do mês de maio”, explicou o secretário na época da instauração da Sindicância, em maio de 2013.

Após o ressarcimento, Ruth Ciarlini continuou trabalhando normalmente no hospital Tarcísio Maia. Contudo, o levantamento teve outras duas consequências sérias: o recebimento indevido foi anotado na ficha profissional dela e, ainda, acabou nutrindo o inquérito conduzido pela Polícia Civil e resultando no indiciamento dela e de outras 12 pessoas por desvio de recursos públicos para a saúde por meio do pagamento indevido de plantões eventuais em hospitais regionais do Estado.

VALOR

A Sesap não soube dizer quanto foi ressarcido, porque o sistema que poderia dar essa informação ficou fora do ar durante a semana e deve continuar assim até a próxima segunda-feira. Contudo, com base em notícias divulgadas no ano passado, Ruth Ciarlni teria recebido 12 plantões diurnos e mais quatro plantões extras, somando uma renda extra mensal em seu salário de R$ 3.164,38 no pagamento de maio, sem estar efetivamente trabalhando.

A irregularidade, apontada e, segundo a Sesap, corrigida, foi anotada na ficha profissional de Ruth Ciarlini como funcionária pública estadual. Além disso, o fato também deu origem a um inquérito conduzido pela Polícia Civil de Mossoró e que resultou, agora, no indiciamento de Ruth e outras 12 pessoas por desvio em recursos públicos da saúde.

DISCURSO

A sindicância instaurada pela Sesap, em maio de 2013, foi a pedido do secretário Luiz Roberto Fonseca que, na época, havia acabado de assumir a pasta. “A governadora Rosalba Ciarlini não compactua com irregularidades. Conheço a governadora, ela tem firmeza, não vai permitir qualquer tipo de irregularidade, se esta houver”, afirmou Luiz Roberto.

Além disso, é importante lembrar que o pagamento da folha salarial dos servidores é um dos maiores motivos de reclamação da governadora Rosalba Ciarlini e do secretário estadual de Planejamento e Finanças, Obery Rodrigues. Tanto que eles já realizaram uma série de medidas para tentar coibir pagamentos indevidos, como a colocação de pontos eletrônicos em unidades médicas.

Na época que a imprensa mossoroense divulgou o pagamento indevido à Ruth Ciarlini, no entanto, ainda não havia esse controle e só foi possível confirmar essa informação por meio do depoimento de testemunhas – outros servidores que jamais viram a irmã de Rosalba trabalhar naquele hospital.

Compartilhar:
    Publicidade