Sinpol denuncia corte de plantões e ITEP terá serviços parados

A suspensão de alguns serviços inadiáveis prejudicará muito a solução de crimes graves

O orgão poderá ficar seis dias sem a realização dos exames e sem liberação dos corpos. Foto: Divulgação
O orgão poderá ficar seis dias sem a realização dos exames e sem liberação dos corpos. Foto: Divulgação

A alteração da escala de serviço dos servidores técnico-especializados do Instituto Técnico Científico de Polícia do Rio Grande do Norte (Itep/RN) pode fazer com que alguns setores do órgão fiquem sem atendimento durante vários dias pelos próximos meses. Para tentar evitar essa situação, o que contribuiria para a paralisação de serviços como necropsias, conjunção carnal e até a remoção de cadáveres, o executivo estadual se reúne com os profissionais para discutir a elaboração da escala de serviços.

Segundo o diretor do Itep, Nazareno de Deus, o Ministério Público determinou a troca das escalas de 24h de serviço por 48h de descanso dos servidores peritos para escalas de 24h por 72h, o que comprometerá diretamente a execução dos serviços periciais. O problema é que não há efetivo suficiente para cobrir todos os intervalos que ficarão vagos, o que pode fazer com que o Itep seja obrigado a parar serviços essenciais.
“É isso o que queremos evitar, que o Itep pare. Infelizmente, não temos profissionais suficientes para cobrir todos os intervalos e a reunião de hoje à tarde é para que possamos explicar e debater esse tema com os servidores, para que, juntos, possamos encontrar uma solução para o problema, que é grave. A minha expectativa é que possamos nos entender e chegar a um consenso que não penalize a população e os próprios servidores”, afirmou Nazareno.

No entanto, para o presidente do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do Estado (Sinpol/RN), Djair Oliveira, a suspensão de alguns serviços inadiáveis prejudicará muito a solução de crimes graves, uma vez que deixarão de ser feitos, por até dez dias do mês,  exames de conjunção carnal (ligados aos crimes sexuais), corpo de delito e flagrantes de entorpecentes. Com isso, bandidos não poderão permanecer presos, por falta da constatação do crime.

Além disso, as necropsias também serão prejudicadas, já que com a adoção da nova escala a partir do próximo domingo, o orgão poderá ficar seis dias sem a realização dos exames e sem liberação dos corpos. Já o serviço de recolhimento de cadáver em local de crime, em Natal, ficará três dias totalmente parado. E o serviço de limpeza e desinfecção do necrotério da sede do Itep, na Ribeira, terá 24 dias em dezembro com as atividades suspensas, aumentando assim o já alto grau de insalubridade do local.

“A solução para esse e outros problemas daquele órgão é o envio urgente do projeto que criará a Lei Orgânica e Estatuto do Itep para votação na Assembleia Legislativa, que, dentre outros, criará os cargos e as respectivas vagas para a realização de concurso público”, ressaltou Djair.

Compartilhar: