Sistema de Segurança para Copa do Mundo já vasculha estrangeiros em Natal

Além da possibilidade de atentados, o risco de manifestações no Mundial também despertou uma atenção especial na elaboração do plano de segurança

Ciosp-HD--(1)

Uma das maiores preocupações durante a Copa do Mundo será a possibilidade de atentados terroristas durante o evento. Para prevenir qualquer tipo de situação nesse sentido, o sistema de segurança que trabalhará no Mundial tem “vasculhado” a vida de estrangeiros que vivem ou estão em todo o Brasil, inclusive em Natal.

“Existe um organismo chamado Centro de Cooperação Policial Internacional, que funciona em Brasília, sediado na Academia Nacional de Polícia, na Polícia Federal, onde estão representantes da Polícia de todas as polícias dos 32 países que irão participar da Copa do Mundo. O Brasil e os 31 estrangeiros. Desse Centro, existe uma comunicação direta com todos os países e é feito monitoramento de cidadãos estrangeiros que estão no Brasil. Tanto a fim de proteção deles como também de torcedores que podem ser criminosos, pois nós sabemos que isso pode acontecer. Fazemos o acompanhamento para ambas as situações”, destacou o delegado da Polícia Federal, Paulo Henrique Oliveira, que é o coordenador do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), que será o local onde todo o sistema de segurança de Natal funcionará na época do Mundial.

Paulo Henrique também destacou que durante os jogos das seleções na capital potiguar, policiais dos países que estarão disputando os jogos naquele dia estarão participando da escolta dos atletas e autoridades que possam estar presentes. “Desses Centros partirão policiais para acompanhar as seleções por onde quer que elas joguem. Por exemplo, no jogo entre Japão e Grécia, teremos policiais japoneses e gregos acompanhando as respectivas seleções e autoridades e nos ajudando a monitorar as ações. Se fala muito da questão do FBI, não só americanos. Todos os países envolvidos mandaram representantes. No nosso caso específico representantes da Polícia para nos auxiliar no acompanhamento dos cidadãos estrangeiros e discutir o plano de segurança que será feito na Copa do Mundo”.

Além da possibilidade de atentados, o risco de manifestações no Mundial também despertou uma atenção especial na elaboração do plano de segurança. “Nós trocamos Informações com todas as cidades sedes. Existe o Centro Integrado de Controle Nacional (CICCN), ele é lá em Brasília e todos os dias temos videoconferências com o Centro Nacional e todos os outros Centros Regionais. Trocamos informações a respeito da segurança pública e possíveis situações que podem acontecer no Mundial. Manifestações são preocupações sim, mas a partir do momento que ela se torne violenta”, explicou Paulo Henrique, que ainda lembrou que até mesmo um simples problema de trânsito também foi levado em consideração na elaboração do plano de segurança.

“O planejamento vai desde a simples preocupação com a chegada de torcedores ao estádio, como conversamos várias vezes com a Prefeitura para viabilizar melhorar o acesso pela BR-101, até atentado terrorista. Centenas de ações possíveis que precisam ser melhoradas. Vamos monitorar tudo 24 horas por dia. Por isso que existe esse Centro de Controle. Não existe um alvo específico, tudo é importante. Não adianta conseguir conter uma manifestação gigantesca, se não conseguirmos levar o público ao estádio com segurança. Não adianta deixar o público chegar com segurança se eu resolver um problema de trânsito no caminho. Tudo é alvo de preocupação”.

Na Copa do Mundo, toda a Natal será monitorada (e já está sendo) no Centro Integrado de Comando e Controle Regional, que foi montado na Escola do Governo, no Centro Administrativo. A estrutura teve um investimento de R$ 80 milhões e tem 48 telas de cinqüenta polegadas que recebem imagens de 200 câmeras que estão espalhadas pela cidade. “No CICCR estarão presentes policiais de todas as corporações, além de policiais estrangeiros e representantes das secretárias do Estado, não só de segurança. Tudo o que acontecer em Natal será registrado por nossas câmeras. Observando alguma ocorrência, passamos a informação para o setor responsável de forma imediata”, frisou o coordenador do CICCR.

Ao todo a segurança em Natal durante a Copa do Mundo será feita por quase 12 mil homens. “Olha, só pela segurança pública, que estarão sob o comando do CICCR, são 4 mil homens. Aí você acrescenta ainda as Forças Armadas e o setor de inteligência,q eu também participarão da segurança da Copa do Mundo”, explicou Paulo Henrique.

Helicoptero-Potiguar-com-novo-equipamento-de-filmagem-HD

Equipamento de R$ 8 milhões para Natal

Para aumentar a eficácia da segurança na Copa, Natal recebeu um equipamento chamado de “Imageador”, equipamento que foi acoplado no helicóptero Potiguar 1. Durante a manhã, por exemplo, o Imageador permite identificar e monitorar alvos sem que a aproximação seja notada em uma distância de até 10km. Durante a noite, outro sensor ajusta a melhor luminosidade para a situação. Em áreas de baixa visibilidade, como uma mata fechada, a câmera capta imagens por meio da diferença de calor.

“O Imageador pode ser utilizado em diversas situações. Uma fuga de um presídio, um assalto, uma perseguição. Qualquer tipo de atividade que se imaginar. É uma ferramenta de um valor inestimável para a segurança pública. Esse equipamento irá ficar como legado para a cidade”, afirmou o delegado Paulo Henrique, que confirmou que outros três helicópteros também serão utilizados na capital potiguar no Mundial. “Temos um helicóptero que foi cedido pelo Estado do Maranhão que será utilizado pela Samu. Em determinadas ocasiões também usaremos helicópteros da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal”.

Compartilhar:
    Publicidade