Sitoparn causa a ira dos vereadores na capital potiguar: “Atitude é irresponsável e irracional”

Júlio Protásio: “Para que a gente não faça papel de bobo, vamos encerrar a sessão”

4574574575678474574

Papel de bobo. É isso que os vereadores de Natal estavam fazendo (na visão dos próprios parlamentares) ao conversar com o presidente do Sindicato dos Transportes Alternativos (Sitoparn), Pedrinhon Santos, enquanto os motoristas do transporte alternativo fechavam o acesso as duas pontes de Natal (a de Todos e a de Igapó), impedindo o retorno para casa de milhares de natalenses.

“A população é quem está pagando a falta de entendimento entre Seturn e Sitoparn”, afirmou o vereador Júlio Protário (PSB), que presidia a sessão plenária com a presença de Pedrinho Santos, justamente, com o objetivo de intermediar um acerto para a implantação da bilhetagem unificada, principal pleito do Sitoparn. “Faço um pedido público para que o presidente, até pelo esforço que a Câmara está fazendo, para que essas duas pontes possam ser liberadas e o povo possa voltar para suas casas”, pediu Júlio Protásio, vendo, em seguida, a negativa de Pedrinho.

“Para que a gente não fique aqui fazendo papel de bobo e em respeito a população de Natal, que possamos encerrar essa sessão”, propôs Protásio, sendo acatado pelos companheiros vereadores. “Atitudes como essa colocam a população contra o Sindicato, porque a população é a favor da bilhetagem, mas não pode concordar com uma situação”, ressaltou o vereador Felipe Alves, do PMDB, sendo seguido por Júnior Grafith, do PRB. “É uma atitude irresponsável, travar ainda mais uma área já comprometida como é a zona Norte. Isso é uma atitude irracional. Irracional”.

“Essa atitude distância muito mais o entendimento com relação a essa situação (bilhetagem unificada). Saio daqui indignado e chateado com a situação”, analisou Ubaldo Fernandes, já conformado com o fim da sessão e de negociação entre os vereadores e Sindicato. “Não aceito esse tipo de atitude, até porque é um desrespeito a nos vereadores, que estamos aqui tentando diariamente um entendimento”, acrescentou o vereador Felipe Alves.

DONOS DA CIDADE

Em meio ao protesto, a Justiça potiguar decidiu liminarmente impedir que o Sitoparn fechasse, em novos protestos, as ruas de Natal. “A ação é recente, foi proposta no final de março, quando vi uma notícia do Sitoparn anunciando que iria fechar as ruas de Natal. Ora, eles (sindicato) têm que entender que não são os donos cidade. Não podem, simplesmente, decidir que vão fechar as ruas e pronto. Não podem”, afirmou a promotora Rossana Sudário, autora da ação civil pública com pedido de liminar deferido hoje, por volta das 16h.

Na liminar, inclusive, foi solicitado que o comandante-geral da Polícia Militar, o coronel Araújo Silva, informe pessoalmente os sindicalistas sobre a proibição. “Ainda bem que essa decisão foi proferida e, muito provavelmente, o Sindicato já deve ter sido notificado. Por isso, liberaram o trânsito na noite de hoje”, afirmou Rossana Sudário. “Eu espero que, pelo menos, novas situações como essa não ocorram. O povo não pode continuar pagando por isso, a merce do Sindicato”, acrescentou a promotora. (Ciro Marques)

Compartilhar: