Sol, mar, cajueiro, passeios de barco e atrações diversificadas marcam veraneio

Praia é considerada umas das mais frequentadas durante o veraneio potiguar

Verao-em-Pirangi---banhistas-WR

Carolina Souza
acw.souza@gmail.com

Quem chega à praia de Pirangi, no litoral sul do Rio Grande do Norte, certamente enfrentará trânsitos em variados momentos do dia, bares e restaurantes lotados, além da beira-mar tomada de pessoas. Bem ou mal, esse é o movimento que atrai diversos natalenses e turistas de todo o país que estão passando o mês de janeiro em terras potiguares.

Além das belezas naturais, que podem ser apreciadas de um simples banho de mar até aos passeios de barco, a praia de Pirangi, que pertence ao município de Parnamirim, a cada ano vem se estruturando ainda mais para receber os visitantes. Para oferecer um veraneio tranquilo e confortável, a Prefeitura de Parnamirim vem se preparando a cada ano para que veranistas e turistas aproveitem a estadia em uma das praias mais frequentadas do litoral potiguar.

Segundo o secretário de Turismo do município, Laizomar Wanderley da Silva, responsável pelas ações de promoção turística, o número de ambulâncias e médicos de plantão foram reforçados; a iluminação nas ruas e na beira-mar também ganhou um reforço para melhoria da segurança e a limpeza na praia e nas principais avenidas está sendo realizada diariamente.

“Nós coletamos diariamente cerca de 40 toneladas de lixo. Temos uma estrutura de oito carros entre tratores e coletores que estão participando desses trabalhos de limpeza. Tudo para que nosso visitante se sinta confortável e bem-vindo em outras épocas do ano”, destacou o secretário.

De fato, toda a extensão da orla de Pirangi está totalmente limpa. Em vários pontos da praia existem cestos de lixo e ações promocionais de empresas parceiras da Prefeitura entregando sacolas de lixo aos banhistas. Porém, na avenida principal de acesso à Pirangi, onde acontecem shows nos finais de semana com artistas nacionais, a situação não é a mesma. Na manhã deste sábado (11) foi possível encontrar bastante lixo espalhado, entre garrafas, latas e descartáveis.
Magnólia da Silva, vendedora ambulante que dormia no local, disse que até dormir “entre o lixo” vale a pena para tentar aumentar o faturamento. “O sol, a cama improvisada e toda essa sujeira não me impedem de nada. Prefiro dormir aqui e já ficar direito para mais um dia de trabalho. As vendas não estão muito boas, então todo tempo que eu ficar aqui será útil”, informou.

Sobre a limpeza dessa área de shows, o secretário de Turismo informou que a reportagem chegou ao local muito cedo. Segundo ele, todas as manhãs pós-show uma equipe faz a limpeza de todo o local. “É normal ficar essa sujeira toda, já que em shows as pessoas costumam jogar tudo no chão. Mas estamos trabalhando todos os dias para que toda Pirangi fique completamente agradável”, disse.

Devido ao grande número de veranistas, a visitação ao maior cajueiro do mundo aumenta e se torna ponto obrigatório de visitação entre os turistas. Neste período, o cajueiro que ocupa área de 8.500 m2 está em época de floração e frutificação, o que engrandece ainda mais a beleza natural do parque ecológico.

“O movimento está muito bom nesses primeiros dias de janeiro, mas já tivemos anos melhores. O que eu observo é que a diferença no movimento dos outros anos para cá não se deu em função da quantidade de turistas ou visitantes, mas, acredite, da Copa do Mundo. Só o que escutamos são as pessoas fazendo planos para a Copa e economizando até em pequenas visitações como essa para poder assistir ao jogos”, disse Francisco Cardoso, presidente da Associação dos Moradores de Pirangi (Amopin) e um dos administradores do cajueiro.

Para entrar no cajueiro e explorar toda a sua estrutura ecológica, o visitante deve pagar um preço simbólico de R$ 5 ou R$ 2,50 para estudantes, crianças e idosos. A artesã Sulamita de Azevedo, que trabalha há mais de 13 anos no centro de artesanato do Cajueiro, confirmou que as pessoas estão procurando economizar mais. “O cajueiro ainda consegue atrair mais pessoas. Mas as vendas não estão indo muito bem. É todo mundo querendo pechinchar ou apenas admirar. Fica difícil para nós porque trabalhamos o ano todo prevendo aumentar as vendas nesses períodos de alta estação”, destacou.

Quem procura um maior contato com o mar, o passeio de barco oferecido em diversos horários do dia pela Marina Badauê pode ser uma boa opção. Por R$ 50, a pessoa tem direito a duas horas de passeio, com direito a passar por três praias do litoral e conhecer os famosos Parrachos de Pirangi. “Quem vem, adora. Os Parrachos são as nossas piscinas naturais e sempre encantam os turistas. Sem dúvida, um dos nossos maiores atrativos”, disse o agente de Turismo, Ronaldo Adriano dos Santos.

O casal Adriana Santos e Carlos Barbosa, do interior de São Paulo, aprovou o passeio e disse que pretende voltar com a família. “Viemos à Natal de passagem rápida mesmo. Enquanto a família acordava e tomava café no hotel, nós decidimos conhecer as praias. Bateu arrependimento, pois devíamos ter esperado todo mundo. Eles iam adorar”, disse Adriana.

Treinamento funcional, danças e ginásticas atraem veranistas

Com o objetivo de facilitar o encontro das pessoas com a vida saudável de exercícios físicos, diversas ações com o apoio da Prefeitura de Parnamirim estão sendo realizadas na beira-mar de Pirangi. Segundo a gerente de marketing da Telepesquisa, Cinthia Lopes, a empresa montou um espaço na praia para conscientizar as pessoas sobre os índices negativos de sedentarismo.

“Qualquer pessoa pode participar de nossa programação gratuitamente. Temos aulas de pilates, dança flamenca, brincadeiras infantis, treinamento funcional, Muay Thai, dança de salão e profissionais para orientar sobre a importância de adotar qualidade de vida”, destacou Cinthia.

O comerciante Paulo José Dias aprovou a iniciativa. “Fiz um conjunto de atividades que vão desde exercícios  de alongamentos e resistência, como também pilates e artes marciais, nesse ambiente de interatividade, música e com o cenário da praia. Aprovadíssimo. Poderíamos ter essas ações em outros períodos do ano”, afirmou.

 

Comerciantes questionam sobre falta de segurança: “Temos apenas uma viatura para três praias”

Se a diversão nas praias do litoral potiguar está garantida, a segurança pública nem tanto. Alvos constantes de assalto, comerciantes e veranistas reclamam a ausência de policiamento nas ruas e avenidas das praias potiguares. Segundo populares, apenas uma viatura da Polícia Civil faz a ronda em três praias de grande movimento: Cotovelo, Pirangi e Búzios.

“A gente vê policiais em dias de show fazendo bafômetro. Mas rodando nas ruas e dando a segurança que precisamos é muito difícil. Sexta-feira (10) teve um tiroteio aqui, em frente ao meu comércio, e nada pôde ser feito porque a viatura da polícia estava em Búzios. À nós, cabe apenas nos proteger em nossas casas”, disse a comerciante, sem querer se identificar. “Temos apenas uma viatura para cobrir três praias. Não preciso nem dizer que isso é um absurdo”.

José Luis e Márcia Lopes, do Rio de Janeiro, disseram à reportagem que não presenciaram nenhum problema no que diz respeito à segurança. “Estamos hospedados em Ponta Negra e já passamos por diversas praias daqui. Até o momento, graças a Deus, não presenciamos nada. Inclusive aqui em Pirangi, onde nos disseram que estava tendo uma onda de assaltos”, destacou José.

Márcia Lopes disse que chegou a escutar na rádio sobre a violência na Praia do Meio. “Ficamos com medo de passar por lá. Por isso decidimos vir por esse lado do litoral. Mas, sinceramente, o jeito é levantar as mãos para o céu e pedir proteção. Risco a gente corre em todo canto”, disse.

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte começou a Operação Verão 2014 nesta última sexta-feira (10). As ações começaram no litoral Sul e serão lançadas na próxima sexta-feira (17) no litoral Norte, seguindo até o fim do carnaval.  Durante esse período estarão instalados dois postos avançados da Polícia Civil, nas praias de Pirangi, no litoral Sul, e Muriú, no litoral Norte.

Os postos funcionarão nas quinta-feiras das 8h às 18 horas para registro de boletins de ocorrências. Nas sextas-feiras, a partir das 8h, até às 8h das segundas-feiras poderão ser feitos registros de Termos Circunstanciados de Ocorrências (TCOs), boletins de ocorrência, flagrantes e outros procedimentos.

Compartilhar:
    Publicidade