Sorteio desequilibrado abre caminho para zebras na Copa de 2014

Definição dos grupos do Mundial acontece nesta sexta-feira (6), na Costa do Sauípe

Sorteio pode criar grupo com três campeões mundiais e chaves com seleção de pouca tradição na competição. Foto: EFE
Sorteio pode criar grupo com três campeões mundiais e chaves com seleção de pouca tradição na competição. Foto: EFE

Os critérios utilizados pela Fifa para o sorteio da Copa do Mundo, que acontece a partir das 14h (horário de Brasília desta sexta-feira (6),  na Costa do Sauípe (BA),  podem provocar um grande desnível na força dos grupos e abrir caminho para grandes zebras na competição.

A lambança toda se deu com a definição dos cabeças de chave. O único critério adotado pela entidade foi o seu próprio ranking de seleções, que tem por base métodos bastante contestáveis.
Assim, Colômbia, Suíça e Bélgica são cabeças de chave, enquanto as tradicionais Holanda, Inglaterra, França e Itália não são. O Brasil só se garantiu no pote 1 por ser o anfitrião do torneio.

O Mundial de 2014 pode ter uma chave com Colômbia, Bósnia, Honduras e Argélia e outra com Brasil, Holanda, Itália e México. Qualquer pessoa minimamente entendida de futebol sabe o quão desniveladas são essas chaves.

O cenário de agora lembra, por razões distintas, o da Copa de 2002. Naquela ocasião, os poucos tradicionais Coreia do Sul e Japão foram cabeças de chave por serem anfitriões.

Resultado: os grupos desses países foram: Japão, Rússia, Bélgica e Tunísia e Coreia do Sul, Portugal, Estados Unidos e Polônia. Todas essas seleções tinham e ainda têm pouca tradição no torneio.

Outra chave contou com Argentina, Nigéria, Suécia e Inglaterra.  Considerada favorita para o título, a seleção sul-americanas foi eliminada na primeira fase.

Em 2002, azarões foram longe: Senegal e Estados Unidos caíram apenas nas quartas de final, enquanto Turquia e Coreia do Sul chegaram às semifinais.

 

Fonte: R7

Compartilhar: