Suposta foto de Bernardo isolado em escola é compartilhada na internet

Não há informações de que a foto realmente seja da sala de Bernardo, já que nenhum familiar se pronunciou sobre a imagem até então

Na imagem, o menino é o único que aparece em pé e isolado. Foto: Divulgação
Na imagem, o menino é o único que aparece em pé e isolado. Foto: Divulgação

Uma suposta foto da sala de aula do menino Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, encontrado morto na semana passada em Frederico Westphalen (RS) tem sido compartilhada nas redes sociais desde esta terça-feira. Na imagem, de agosto de 2013, pais e alunos participam de uma reunião escolar e chama a atenção o fato de apenas Bernardo estar em pé, isolado em um canto, dentro da sala.

As demais crianças aparecem sentadas ou ao lado de seus pais.  “Hoje pela manhã, enquanto lia mais informações sobre o caso encontrei essa foto do Bernardo e a postei numa página sobre o ocorrido, talvez não sirva pra nada, talvez, nunca se sabe, pra mim é como se eu pudesse ajudar a ecoar o grito dessa criança que só pedia amor, é um jeito de pedir que ‘vc’ que está lendo fique sempre atento aos sinais, aos pedidos de socorro muitas vezes ignorados ou abafados. Ele não foi o primeiro e infelizmente não será o ultimo”, disse a internauta que publicou a imagem no Facebook.

Não há informações de que a foto realmente seja da sala de Bernardo, já que nenhum familiar se pronunciou sobre a imagem até então.

O caso

Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, desapareceu no dia 4 de abril, em Três Passos (RS), após – segundo a versão da família – dizer ao pai que passaria o fim de semana na casa de um amigo. O corpo do garoto foi encontrado no dia 14 de abril, em Frederico Westphalen (RS), dentro de um saco plástico e enterrado às margens do Rio Mico. Na mesma noite, o pai, o médico Leandro Boldrini, a madrasta Graciele Ugulini, e a assistente social Edelvânia Wirganoviczo foram presos pela suspeita de envolvimento no crime. Segundo a Polícia Civil, o menino foi dopado antes de ser morto, possivelmente com uma injeção letal.

Compartilhar: