Suspeito de esquartejar jovem se exibia com armas nas redes sociais

Ele trabalhava ilegalmente como segurança e já tinha mais de 20 ocorrências contra ele

Leandro postava fotos com armas em páginas de redes sociais. Foto: Divulgação
Leandro postava fotos com armas em páginas de redes sociais. Foto: Divulgação

O segurança Leandro Emílio da Silva Soares, de 26 anos, que confessou ter matado e esquartejado a jovem Mara Tayana Decker, de 19, após uma briga em um bar em Joinville (SC), se exibia em páginas das redes sociais com armas.

Ele trabalhava ilegalmente como segurança e já tinha mais de 20 boletins de ocorrência de violência contra mulheres registrados contra ele. Ele já havia, inclusive, sido condenado em 2013.

Para a Polícia Civil, Soares é uma pessoa possessiva, agressiva e dominadora. Ele sempre quis reatar os namoros com ameaças e violência.

Desde 2007, 22 boletins de ocorrência foram registrados contra ele por injúria, lesão corporal e ameaças de morte. Em 2013, por atos violentos, Soares foi condenado a um mês e 16 dias, mas cumpriu a pena com serviços comunitários.

Após a prisão do segurança, outras vítimas procuraram a polícia. Em depoimento, uma mulher de 34 anos afirmou ter sido estuprada por Soares, em janeiro deste ano. Ela estava em um barzinho e saiu do local para pedir um táxi.

O segurança se aproximou dela e se ofereceu para dividirem a corrida. Ao chegar na casa dele, ele alegou não ter dinheiro. A jovem acabou acompanhando-o para dentro da casa, onde foi agredida, trancada e estuprada durante horas. Para que não contasse nada à polícia, ele a ameaçou dizendo que havia filmado o estupro e iria divulgar as imagens na internet.

Fonte: R7

Compartilhar:
    Publicidade