Suspeito de matar lutador tenta tirar a própria vida após ingerir medicamentos

Tenente da Polícia Militar, Iranildo Félix também estaria sofrendo ameaças anônimas por telefone

o suspeito estava muito preocupado com as ligações e mensagens de ameaças que vem recebendo desde o dia do crime. Foto: Divulgação
o suspeito estava muito preocupado com as ligações e mensagens de ameaças que vem recebendo desde o dia do crime. Foto: Divulgação

Déborah Fernandes

Repórter

 

O tenente Iranildo Félix de Souza, principal suspeito de matar o professor e lutador de MMA, Luiz de França Souza Trindade, 25 anos, teria tentado suicídio na noite de ontem, após ingerir várias cápsulas de um medicamento. Segundo informações de um hospital particular da capital, ele deu entrada na urgência de clínica médica por volta das 0h30 de hoje.

A equipe do O Jornal de Hoje tentou confirmar a informação de tentativa de suicídio com a advogada do tenente, Juliana Garcia de Melo, que afirmou ter conversado com o cliente na noite de ontem. Iranildo teria questionado o que aconteceria com o filho e a mãe dele, caso ele morresse.

“Eu não duvido que ele tenha tentado se matar. Ontem ele me ligou e questionou sobre pensão. O que aconteceria com a mãe o filho e se poderia deixar os dois com boas condições financeiras. Juntando as informações eu acredito sim que ele tenha tentado se matar, já que tem acesso a medicamentos e a sua própria arma”, disse a advogada.

Antes desse telefonema para Juliana, Iranildo Félix teria sofrido um atentado. A advogada revelou que o militar estava no trânsito após ter ido ao Itep deixar as roupas utilizadas na manhã da última segunda-feira (10), dia do crime, para análises, quando teria sido surpreendido por dois homens em uma motocicleta. Segundo a advogada, o tenente percebeu que um dos indivíduos estava com a mão na cintura e resolveu jogar o carro para cima da motocicleta.

“Ele sofreu ontem sim essa tentativa de homicídio, e após o fato se dirigiu ao comando geral da PM para solicitar um colete à prova de balas, por onde ficou até a noite. Depois disso ele ligou para mim muito nervoso querendo saber o que aconteceria com a mãe e o filho caso ele morresse”.

Histórico

Iranildo Félix é policial militar há oito anos e está há 10 meses afastado da companhia por indicação médica, após sofrer de uma depressão profunda. “Ele perdeu um grande amigo policial, na mesma época em que estava se separando da ex-mulher, com quem tem um filho, todas essas situações levaram meu cliente a sofrer muito e precisar se afastar. Ele toma remédios muito fortes e não pode deixar de tomar nenhum. Estou muito preocupada porque ele é uma pessoa que tem coragem de se matar”, completou.

Uma fonte com livre circulação na PM, que encontrou com o tenente durante o exame do Instituto Técnico Cientifico De Polícia do RN (Itep), afirmou que o suspeito estava muito preocupado com as ligações e mensagens de ameaças que vem recebendo desde o dia do crime, na última segunda-feira (10). “Ontem no Itep ele estava muito preocupado, tenso, pelas ameaças que vem recebendo. Outra coisa que ele confessou é que está com medo, pois muitas pessoas já sabem onde ele mora, e teme que façam alguma coisa com ele”, declarou o militar.

Defesa

A advogada de defesa, Juliana Garcia de Melo, quando questionada sobre as suspeitas que recaem sobre seu cliente, ela afirma que Iranildo é solícito ao delegado e não pode ser cogitado como único suspeito. “Tudo que o delegado pede ele faz, foi ao Itep espontaneamente, deixou que sua residência fosse vistoriada e está sempre à disposição do delegado para prestar depoimento sobre o que ele fez na última segunda-feira. Mas ele está sendo acusado a todo o momento, pelo próprio delegado, como único suspeito e isso não pode ser divulgado assim”, disse.

Sobre uma possível relação violenta entre a namorada e o tenente, que já foi declarado ao delegado Silvio Fernando, em depoimento, que teria resultado em uma internação da jovem no último sábado (8), Juliana nega a relação de seu cliente com o fato. “Os laudos médicos já estão disponíveis para a investigação, ela caiu dentro de casa e não foi espancada pelo namorado como foi divulgado pela imprensa”, declarou.

Compartilhar:
    Publicidade