Suspeito de roubo a banco usava celular no nome de ex-presidente Lula

O número do telefone estava cadastrado com o CPF do ex-presidente

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A Polícia Civil de Mato Grosso descobriu que um homem preso suspeito de integrar uma quadrilha que roubava bancos no Estado usava um número de celular cadastrado com o CPF do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. Jonas Rodrigues, detido na última quinta-feira pelo roubo a uma agência do Banco do Brasil em Nova Maringá, estava com um telefone de prefixo 66, registrado com endereço na cidade de Natal (RN).

O celular foi habilitado no dia 24 de abril, um dia depois do roubo. “Isso nos surpreendeu quando vínhamos monitorando esse criminoso. Puxamos o cadastro dele na operadora e lá constou o CPF do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Confirmamos que é de fato o CPF dele, e isso demonstra a ousadia do criminoso em utilizar o cadastro de uma pessoa extremamente conhecida”, disse o delegado Flávio Henrique Stringueta, da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) da Polícia Judiciária Civil.

No assalto, ocorrido no dia 23 de abril, a quadrilha levou R$ 442 mil da agência bancária. Após uma operação, a polícia prendeu 10 membros do grupo. Todos vão responder por crimes de roubo qualificado mediante concurso de pessoas e emprego de armas, quadrilha armada, lavagem de dinheiro e posse de armas de fogo.

Segundo as investigações, o grupo se preparava para praticar um novo assalto. “Eles falavam em levantar mais dinheiro com urgência, já que tinham gastado todo o dinheiro. Não sabíamos o que iam fazer, se era o mesmo estilo de roubo ou outro tipo de modalidade criminosa”, disse o delegado.

Com os suspeitos, foram apreendidos cinco armas de fogo, três veículos, incluindo a camionete usada no roubo, duas motocicletas e uma lancha, além de dinheiro, munições e documentos. A quadrilha também tinha mais de R$ 150 mil em bens, adquiridos ilicitamente com o dinheiro do assalto. Os suspeitos foram encaminhados à Penitenciária Central do Estado (PCE).

Fonte: Terra

Compartilhar: