Taxas de juros do crédito sobem em janeiro para pessoas físicas e jurídicas

Resultado reflete o aumento da taxa básica de juros promovida pelo BC no dia 15 de janeiro

É provável que as taxas de juros das operações de crédito voltem a subir nos próximos meses. Foto: Bloomberg/Getty Images
É provável que as taxas de juros das operações de crédito voltem a subir nos próximos meses. Foto: Bloomberg/Getty Images

As taxas de juros usadas nas operações de crédito no Brasil subiram em janeiro tanto para pessoa física como para pessoa jurídica, indicou pesquisa divulgada nesta segunda-feira (10), pela Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade).

Segundo o diretor executivo de estudos econômicos da Associação, Miguel José Ribeiro de Oliveira, o resultado reflete o aumento da taxa básica de juros da economia promovida pelo BC (Banco Central) no dia 15 de janeiro, quando a Selic passou para 10,50% ao ano.

De acordo com o levantamento da Anefac, a taxa de juros média geral para pessoa física aumentou de 5,60% ao mês (92,29% ao ano) em dezembro de 2013 para 5,65% ao mês (93,39% ao ano) em janeiro.

Já a taxa média aplicada para empresas avançou de 3,25% ao mês (46,78% ao ano) para 3,29% ao mês (47,47% ao ano), no mesmo período. Nos dois casos, a taxa registrada em janeiro é a maior desde setembro de 2012.

Das nove linhas de crédito de comércio e bancos pesquisadas pela Anefac — seis de pessoa física e três de pessoa jurídica —, oito tiveram alta na passagem de dezembro para janeiro, e apenas (cartão de crédito) uma se manteve estável. A taxa média do cheque especial, por exemplo, passou de 7,97% ao mês (150,98% ao ano) em dezembro para 8,03% ao mês (152,66% ao ano) em janeiro.

Em nota, Oliveira afirma que o cenário atual de pressão inflacionária deve levar o BC a elevar novamente a Selic na próxima reunião do Comitê de Política Monetária, no fim de fevereiro, para tentar aproximar a inflação do centro da meta de 4,5%.

— Por conta disso é provável que as taxas de juros das operações de crédito voltem a subir nos próximos meses.

 

Fonte: R7

Compartilhar: