Taxista encontra ingresso para jogo do Brasil no banco de trás e devolve ao dono

Paulistano foi a Brasília para partida contra Camarões e teve sorte de encontrar taxista de “bom coração”

Torcedor esqueceu o ingresso dentro do táxi, e o motorista devolveu. Foto: Divulgação
Torcedor esqueceu o ingresso dentro do táxi, e o motorista devolveu. Foto: Divulgação

O comerciante paulistano Paulo Arruda, de 41 anos, chegou a Brasília no domingo para assistir a Brasil e Camarões no Mané Garrincha na segunda-feira. Tinha seu ingresso em mãos e antes de ir ao estádio combinou de encontrar o cunhado Paulo Rapetti, de 33, no shopping que serve de concentração para muitos torcedores antes da partida começar às 17h.

Os dois tomavam sua cervejinha quando Arruda se desesperou. Havia perdido seu ingresso. Revirou os bolsos, o agasalho, o boné… Havia perdido o ingresso. A reportagem conversava com Rapetti quando viu a cena. Arruda então começou a rever mentalmente todo o caminho que havia feito até chegar ali.

Sua primeira atitude foi telefonar para o ponto de táxi de onde havia saído para chegar ao shopping. Falou com uma, duas pessoas e conseguiu contatar Eurípedes Francisco da Silva, de 65 anos, o taxista que tinha o levado até ali numa corrida de R$ 40.

Arruda então combinou com Eurípedes para que ele o encontrasse no mesmo ponto onde havia o deixado algumas horas antes. Taxista em Brasília desde 1977, o senhor de 65 anos foi até lá devolver o bilhete que Arruda havia comprado no site da Fifa por R$ 350. Poderia vender por isso ou por muito mais nas imediações do estádio.

“Poderia. Talvez alguém fizesse isso. Mas eu não ia conseguir conviver com o peso na consciência. Sabia que era coisa errada. Tinha trazido o rapaz aqui e não custava nada trazer para ele de volta”, disse.

“Quando eu peguei ele eu ia almoçar, mas como eu estava lá no ponto resolvi levar. E aí voltei, sentei no restaurante e um colega me ligou para dizer se tinha um ingresso no banco de trás. Achei e aí ele ligou e vim pra cá”, contou Eurípedes, goiano de Rubiataba, cidade a 267km da capital federal.

Arruda não acreditou em ter de volta o ingresso perdido no momento em que pagava a primeira corrida a Eurípedes. “Eu tirei a grana pra pagar e o ingresso veio e caiu no banco. Sorte que encontrei um tiozinho ponta firme”, disse. Arruda deu R$ 50 pela corrida e mais R$ 100 pela generosidade de Eurípedes. “Fiz isso porque é a coisa certa”, disse o taxista.

Fonte:IG

 

Compartilhar: