Natal planejou gastar R$ 1,5 bi com obras da Copa, porém só o estádio ficou pronto

As obras de infraestrutura devem ser entregues em maio, segundo o governo do Rio Grande do Norte e a Prefeitura de Natal

Aeroporto de São Gonçalo é apenas uma das inúmeras obras que estão inacabadas e com prazo de entrega vencido. Foto:Divulgação
Aeroporto de São Gonçalo é apenas uma das inúmeras obras que estão inacabadas e com prazo de entrega vencido. Foto:Divulgação

Um estádio de futebol para 41 mil pessoas, um aeroporto novo, reforma no porto e três pacotes de melhorias viárias. Em 2010, Natal planejou gastar R$ 1,5 bilhão com obras relacionadas à realização da Copa do Mundo. Quase metade do dinheiro, cerca de R$ 715 milhões, vem de financiamentos federais.

Quatro anos depois, apenas uma dessas intervenções ficou pronta: a Arena das Dunas será inaugurada oficialmente nesta quarta-feira, 22, mas sem os assentos temporários exigidos pela Fifa. As obras de infraestrutura devem ser entregues em maio, segundo o governo do Rio Grande do Norte e a Prefeitura de Natal.

Os atrasos nessas intervenções foram causados por problemas semelhantes aos enfrentados em outras cidades-sede: desapropriações contestadas na Justiça, demora para entregar os projetos ou para retirar o financiamento do governo federal.

Parte das obras fica no entorno do novo estádio e foi projetada para facilitar o acesso à arena. A prorrogação da Avenida Prudente de Morais, por exemplo, tinha custo previsto de R$ 28,2 milhões, começou a ser feita em 2009 e seria entregue em julho de 2011.

Ao longo do tempo, porém, a obra foi paralisada por pedidos do Ministério Público e do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis), teve o projeto alterado para evitar impactos ambientais e, para terminar, a construtora que venceu a licitação resolveu abandonar o serviço. O resultado é que o preço da intervenção subiu para R$ 60 milhões e o prazo de inauguração foi estendido para maio de 2014, segundo o governo de Rio Grande do Norte.

O outro corredor viário que passa perto do estádio também deve ser entregue à população em maio. De responsabilidade da Prefeitura, a obra atingiu 35% do cronograma em janeiro. A partir de fevereiro, operários devem começar a trabalhar em três turnos para dar conta do trabalho. O projeto é orçado em R$ 338 milhões.

A reforma no Porto de Natal, de R$ 53,7 milhões, é prevista para março. O aeroporto de São Gonçalo do Amarante, orçado em R$ 557,8 milhões, deve ser aberto em abril. A ligação do aeroporto com a capital potiguar atingiu a marca de 30% de conclusão no último dia 20. O governo do Estado garante que terminará o serviço em três meses.

Os acessos, que somam 18 quilômetros, começaram a ser construídos em dezembro. A obra tem financiamento da Caixa de R$ 73 milhões. Uma das justificativas para o atraso é a mudança no projeto, que antes só previa o acesso do aeroporto a Natal – sem ligação com a estrada que leva ao interior.

Embora tenha um cronograma apertado, a obra pode enfrentar problemas nos próximos dias. O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte marcou uma audiência de conciliação para discutir as desapropriações propostas pelo governo com os moradores e entidades de direitos humanos.

Outros cerca de R$ 500 milhões foram destinados a obras para melhorar a estrutura turística, a infraestrutura de tecnologia e a segurança da cidade.

Dilma e Valcke vão à inauguração

A inauguração da Arena das Dunas está prevista para as 17h, com a presença da presidente Dilma Rousseff, do secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, e de autoridades locais. No domingo, estão previstas as duas primeiras partidas no estádio: América-RN e Confiança, pela Copa do Nordeste, e ABC e Alecrim, pelo Campeonato Estadual.

Inicialmente, a nova arena potiguar foi orçada em R$ 320 milhões e ficaria pronta em dezembro de 2012. O estádio será entregue nesta quarta, ao custo de R$ 417 milhões, de acordo com os últimos dados divulgados pelo Ministério do Esporte.

Antes de receber jogos da Copa, a arena ainda terá que receber um investimento extra. O governo do Estado lançou uma concorrência, no início de dezembro, para contratar uma empresa que forneça 11 mil assentos temporários, serviço que deve ficar pronto em março.

Uol

Compartilhar:
    Publicidade