Tiros, drogas e prisões na festa da ‘Máfia’

A comemoração dos 21 anos da torcida organizada Máfia Vermelha, do América Futebol Clube, terminou em confusão e tiroteio ontem…

A comemoração dos 21 anos da torcida organizada Máfia Vermelha, do América Futebol Clube, terminou em confusão e tiroteio ontem à noite, no bairro do Tirol, em Natal. Três pessoas foram presas por policiais militares do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) e Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicleta (Rocam), que apreenderam ainda um revólver calibre 38, vários projéteis de pistola 380, além de drogas e produtos frutos de roubo. Duas pessoas ficaram feridas.

Segundo o oficial de operações do BPChoque, tenente Augusto Gadelha, foram presos o presidente da entidade, Fhewchtersleben Júnior da Rocha, sua companheira Joyce Patrícia Siqueira da Silva e um homem identificado apenas pelo apelido de “Romarinho”, que é acusado de ter participado de, pelo menos, quatro homicídios no Estado.

Ele disse que várias pessoas ligaram para a Polícia Militar e denunciaram que o presidente da Máfia teria efetuado vários disparos de arma de fogo durante uma briga generalizada na festa. Ao chegarem ao local, os militares abordaram Rocha, que negou as acusações, apesar das cápsulas deflagradas de pistola calibre 380 espalhadas pelo salão de festas.

“Ele disse que não sabia de nenhuma confusão no salão e que só assumia os projéteis que estavam dentro do automóvel revistado. No entanto, como as testemunhas confirmaram que tinha sido ele quem teria feito os disparos, o autuamos em flagrante por porte ilegal de munição e o levamos para a delegacia. Não encontramos a pistola, mas acreditamos que ele tenha passado ela para outra pessoa esconder”, disse o tenente.

No momento em que estavam levando o acusado detido, Joyce Patrícia teria reagido e agredido um policial militar da Rocam, o que motivou a sua prisão por desacato a autoridade e lesão corporal. Os dois foram encaminhados para a Delegacia de Plantão da zona Sul, no bairro da Candelária, onde foram autuados em flagrante.

Segundo o tenente Gadelha, quando a situação parecia ter se acalmado, a Polícia Militar foi novamente acionada por pessoas que estavam na festa. Um homem identificado apenas pelo apelido de “Romarinho” teria efetuado novos disparos no local e ferido duas pessoas, que foram socorridas para o Hospital Walfredo Gurgel, onde passaram por procedimento médico e ficaram em observação, fora de perigo.

“Nós ainda estávamos na delegacia quando recebemos a denúncia, que foi conferida pelos militares da Companhia de Policiamento Turístico (CPTur). Quando eles chegaram lá, conseguiram prender esse “Romarinho”, que já possui ficha na polícia e é acusado de quatro homicídios”, explicou Gadelha.

“Romarinho” foi detido com um revólver calibre 38 e também foi levado para a Delegacia de Plantão da zona Sul, onde foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma, lesão corporal e desordem. Ele não disse o porquê dos disparos, que acertaram de raspão duas pessoas que estavam no local do evento.

DIRETORIA DO AMÉRICA REPUDIA ATOS DE VIOLÊNCIA EM FESTA DE TORCIDA

Os atos de violência ocorridos ontem, durante a comemoração de uma das torcidas organizadas do América, foram repudiados pela diretoria do clube. O presidente do América, Alex Padang, disse que só soube do ocorrido pela imprensa, na manhã de hoje, e que o clube não possui nenhum tipo de relação com as torcidas organizadas.

Ele disse também que o América repudia todo e qualquer ato de violência, dentro e fora de campo, e que o fato só entristece quem integra os quadros do clube. “Não temos nenhum tipo de vínculo com torcidas organizadas e repudiamos atos agressivos envolvendo esses grupos, porque entendemos que futebol é alegria e não violência, que não combina com esporte algum”, afirmou Padang.

Ele falou ainda que o clube dá total apoio aos órgãos de segurança pública e que fatos como esses, envolvendo torcedores do América, só entristecem as pessoas. “Apesar de ter sido um fato ocorrido em uma festa privada, sem nenhuma relação com o clube, envolve torcedores do time, que não aceitam, em hipótese alguma, esse tipo de comportamento”, finalizou.

Compartilhar: