Tiroteios em Mãe Luiza impedem interdições de áreas pela Defesa Civil

Segundo a PM, os tiroteios começaram a ser abafados com o monitoramento da polícia na região

54yu54y43

O monitoramento das casas e das áreas com risco de desabamento em Mãe Luiza vem sendo constantemente interrompido em função do ‘domínio’ que os bandidos impõem no bairro. De acordo com o diretor geral da Defesa Civil de Natal, Eugênio Soares, vinculado à Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semdes), todas as vezes que os agentes tentam concluir as interdições nas áreas de risco são surpreendidos por tiroteios.

A Rua Atalaia, paralela à Rua Guanabara, onde a cratera começou a ser aberta devido aos deslizamentos de terra, ainda não está totalmente vistoriada por falta de condições de segurança para acesso dos agentes. “Sempre que subimos para a Atalaia, surgem os tiroteios. Não sei se é coincidência ou se isso é uma forma de expulsar os agentes, mas a verdade é que ainda não conseguimos concluir o perímetro que precisa ser interditado dessa rua”, conta Eugênio Soares.

“Ontem, quando chegamos com os assistentes sociais da Semtas (Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social), presenciamos o tiroteio por três vezes. Desse jeito não temos como concluir a demarcação, pois não colocarei em risco a vida dos agentes. Faremos uma nova tentativa hoje”, disse o diretor da Defesa Civil.

De acordo com o comandante da Polícia Militar, coronel Francisco Canindé Araújo, os tiroteios começaram a ser abafados com o monitoramento da polícia na região, que já chegou a prender cinco pessoas sob porte de três armas de fogo e um colete de proteção pertencente à Polícia Rodoviária Federal.

“Realmente esses tiroteios aconteceram no bairro, mas estamos reforçando o efetivo naquela região diariamente. Temos viaturas de plantão tanto na Rua Guanabara, próxima à cratera, quando na Rua Atalaia. Ontem conversei com membros da Semdes, e estaremos fortalecendo as ações em Mãe Luiza, de modo a proteger a população e os agentes que estão trabalhando para evitar mais riscos no bairro”, afirmou o Coronel Araújo.

O comandante da PM informou que além das viaturas do 1º Batalhão, a guarda municipal e a guarda ambiental estão dando um reforço na segurança diariamente. “Também estamos ajudando à Secretaria de Mobilidade Urbana no que diz respeito à orientação do trânsito, para que as pessoas possam desobstruir as ruas e dar condições de fluxo na Rua João XXIII, já que as outras ruas foram afetadas pelos danos”, disse.

 

Alteração do trânsito

A Rua João XXIII, principal via do bairro de Mãe Luiza, terá o trânsito alterado pela Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) a partir de segunda-feira (23). Como atualmente a via está sobrecarregada com o bloqueio na Atalaia e Guanabara, interditadas por causa do deslizamento da encosta, a Semob viu a necessidade de restringir o fluxo de veículos.

Segundo as novas regras, os veículos de moradores, ônibus e de serviços que estão sendo realizados na região, estarão autorizados a usar a via. Já os carros de passeio oriundos de outras regiões da cidade não terão acesso. A secretaria esclarece que a interdição ocorrerá no sentido do bairro Petrópolis para a Via Costeira. No sentido contrário o fluxo será liberado para todos os veículos. Será proibido parar e estacionar, assim como realizar ultrapassagem.

Agentes de mobilidade estarão na região orientando os motoristas sobre os desvios. A medida será adotada para que a subida dos ônibus seja possível, visto que a Rua João XXIII é muito íngreme e impossibilita a subida de vários veículos ao mesmo tempo.

Compartilhar: