TJ considera a greve da saúde em Parnamirim abusiva e ilegal

Grevistas não cumprirem a decisão judicial serão obrigados a pagar multa diária de R$ 2 mil

Fonte: José Aldenir
Fonte: José Aldenir

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte considerou ilegal e abusiva a greve dos servidores da saúde. A decisão é do desembargador Dilermando Mota e obriga os grevistas a desocuparem o prédio da Maternidade Divino Amor e retornarem imediatamente às suas atividades.

Segundo o procurador do município, Fábio Pinheiro, a Prefeitura entrou com a ação civil pública solicitando a ilegalidade e abusividade da greve em razão dos prejuízos que o movimento tem causado à população. “Os grevistas invadiram o prédio da Maternidade e impediram o atendimento aos pacientes”, justificou o procurador.

Fábio Pinheiro também explicou que se os grevistas não cumprirem a decisão judicial serão obrigados a pagar multa diária de R$ 2 mil, com limite máximo de R$ 60 mil. Em relação ao pedido de descontos dos dias trabalhados, o desembargador indeferiu. Mas, o procurador informa que o assunto será voltará a ser apreciado durante o julgamento da ação principal.

Compartilhar:
    Publicidade