Tombado

A Fundação José Augusto emitiu ontem uma decisão curiosa. De forma temporária, o órgão decidiu pelo tombamento do antigo Hotel…

A Fundação José Augusto emitiu ontem uma decisão curiosa. De forma temporária, o órgão decidiu pelo tombamento do antigo Hotel Reis Magos, aquele mesmo que está em total estado de abandono há mais de duas décadas. O objetivo do órgão, assim como do Ministério Público, é primeiro analisar a importância histórica do imóvel, para depois chegar a uma conclusão se a obra merece mesmo ser literalmente tombada, com o perdão do trocadilho.

A decisão surge pouco tempo depois da Justiça negar, por duas vezes, o mesmo pedido oriundo do Instituto dos Amigos do Patrimônio Histórico e Artístico Cultural e da Cidadania. Para os juízes que optaram por liberar a demolição do prédio, o local não tinha maiores serventias do que servir de abrigo para noites amorosas de casais desabrigados ou de ninho para consumidores de drogas. Os magistrados estavam certos.

Quem passa hoje pelos escombros daquele que foi o primeiro hotel do Rio Grande do Norte, é capaz de se assustar. A noite, o ponto se transforma em um verdadeiro risco de vida, tamanha a insegurança da região. Mas, apesar desta realidade, que só tem se agravado nos últimos anos, jamais, ninguém, nem nenhuma entidade sequer, apareceu perto do antigo imóvel para pedir por seu tombamento ou por sua recuperação.

Agora, na iminência dos proprietários do prédio decidirem por um grande investimento no local, de repente, aparecem diversos interessados no passado histórico da cidade. Uma pena nenhum deles ter dado as caras quando foi para o chão o saudoso Hotel Tirol e o velho poema de concreto, nosso Machadão. Os preservacionistas preferem manter de pé o esqueleto de um passado que não deixa mais saudades.

A chegada de capital privado na região onde está encravado o Hotel Reis Magos é a saída para trazer de volta a cidade aquela que é uma de suas mais belas paisagens. O cenário composto pelas praias do Meio, dos Artistas e do Forte há muito é carente de qualquer tipo de investimento.

Com um centro comercial no local, como consta no projeto proposto pelos proprietários do imóvel, facilmente seriam destinados recursos públicos para melhorar aquele local. Isso sem falar na geração de emprego e renda que ocorreria com a abertura de mais um grande posto de trabalho. Mas, em vez de defender o desenvolvimento da cidade, talvez seja melhor mesmo manter velhos escombros de pé.

DEFINIÇÃO

Não há mais como esconder. Após ouvir prefeitos e vice-prefeitos de todas as regiões do Estado, de consultar seus deputados e também os vereadores de Natal, o ministro Garibaldi Alves Filho e o deputado federal Henrique Eduardo Alves sabem que, se o PMDB quiser ter um candidato próprio a governador, terá que ser um dos dois primos que há anos dominam grande parte da política potiguar. Hoje, a tendência é mesmo que o presidente da Câmara acabe aceitando participar do jogo eleitoral.

POSTURA

A se confirmar a candidatura de Henrique, a disputa estará aberta. João Maia, do PR, já admite ser vice do atual colega de bancada federal. Wilma de Faria também teria dito que, do presidente da Câmara, aceita compor chapa como candidata ao Senado. O PDT, do primo Carlos Eduardo e do tio Agnelo Alves, seria mais um comprometido com o projeto. Assim como o Pros e PV.

DÚVIDA

Por outro lado, a união do grupo ao DEM dependeria ainda da definição de uma candidatura ou não da governadora Rosalba Ciarlini a reeleição. Ela quer, mas corre sérios riscos de ser considerada inelegível devido as acusações de abuso de poder cometidos na campanha eleitoral de 2012, em Mossoró. É nesta possibilidade que aposta o senador José Agripino Maia para conseguir manter os mandatos dos deputados democratas no Estado

CONCORRÊNCIA

Neste cenário, estaria confirmada a exclusão do PSD, de Robinson Faria, e do PT, de Fátima Bezerra. A dupla poderá, sim, firmar acordo para uma chapa concorrente a Henrique e Wilma. Seria um risco, principalmente diante da possibilidade de isolamento das duas legendas. Mas, em um período de total insatisfação da sociedade com sua classe política, é impossível prever o resultado dessa disputa. Resta saber quem terá coragem de ir até o final.

VERGONHA

Totalmente lamentável a atitude de meia dúzia de torcedores do Real Garcilaso, do Peru, durante a partida disputada com o Cruzeiro pela Libertadores da América. Os babacas ficaram imitando macacos nos momentos em que a bola estava com o meia Tinga, do clube mineiro. Isso vindo de um país sul-americano e com uma mistura de etnias semelhantes a brasileira. Ridículo.

CAJUPIRANGA

Com inauguração confirmada para o próximo dia 22, a FGR Urbanismo leva o conceito Jardins de Viver para o Rio Grande do Norte. O Jardins Amsterdã, localizado em Cajupiranga, reflete o firme propósito da FGR Urbanismo, em parceria com a família Fonseca e Filhos e a Penta Incorporadora – que tem entre seus sócios a dupla sertaneja Zezé Di Camargo e Luciano – em levar o seu conceito de excelência em qualidade de vida para o Rio Grande do Norte.

CAPIM MACIO

O empreendimento Royal Palms, da construtora BSPAR Delphi, está com o apartamento modelo disponível para visitação. A unidade finalizada está localizada no 10º andar e tem vista para o mar de Ponta Negra e para o Parque das Dunas. Durante a visita, os clientes poderão conferir de perto todo o acabamento de alto padrão do empreendimento, considerado o maior da região, com 141,67 m² e três suítes. O stand de vendas está aberto todos os dias, das 9h às 17h.

ESPERANÇA

Amanhã é dia de Verdão em campo. Com seis pontos e na ponta da tabela ao lado do Globo, o Alecrim encara o Santa Cruz dentro do Ninho do Periquito, em São Gonçalo do Amarante. É uma grande oportunidade para, quem sabe, se isolar na liderança da competição. Algo que nem mesmo o mais esperançoso dos torcedores esmeraldinos acreditava. Expectativa é grande.

GIRA MUNDO

Está na Folha de São Paulo. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse nesta sexta-feira (14) que um projeto de lei que regulamenta os crimes praticados especificamente em protestos será encaminhado pelo governo em regime de urgência ao Congresso Nacional. O texto ainda está em fase de elaboração e surge após a morte de um cinegrafista no Rio de Janeiro. O objetivo é conter a ação de vândalos em manifestações. Enfim, uma atitude correta do governo em relação a vergonhosa destruição causada pelos protestos. Punir é o mínimo.

Compartilhar: