Tônia Carrero para sempre

No Brasil nasceu uma das mulheres mais belas da história do cinema, com igual elegância e sex appeal das grandes…

No Brasil nasceu uma das mulheres mais belas da história do cinema, com igual elegância e sex appeal das grandes divas mundiais. A atriz Tônia Carrero nada teve de menos se comparada a Grace Kelly, Ingrid Bergman, Marilyn Monroe ou Greta Garbo.

Pelo menos um potiguar teve o privilégio de cultuar de perto tamanho encanto em distintas décadas, quando ela ainda subia aos palcos e era uma estrela de novelas. O jornalista e crítico de cinema Valério Andrade a definiu como uma “beleza hipnótica”.

O primeiro contato foi auditivo, quando a TV Globo – ainda longe de ser uma potência da teledramaturgia – botou no ar “Pigmaleão 70″, onde o diretor Regis Cardoso fazia par com uma estrela então “cinquentonia” e ainda hipnotizando os telespectadores.

Valério escreveu uma resenha sobre a novela na revista Manchete e não economizou rasgação de seda para a atriz, que resolveu telefonar para agradecer e confessar que se achou mesmo linda ao ver-se numa fita de VHS, no filme “Apassionata”, de 1952.

Quando “Pigmaleão 70″ foi ao ar, fazia apenas dois anos que Tônia Carrero havia protagonizado, ao lado de outros astros, a grande passeata dos artistas em protesto contra a censura. Sua fala e a de Cacilda Becker são hoje um registro de uma derrota.

Ambas consideradas monstros do teatro nacional, Tonia e Cacilda foram inimigas de convivência, tendo a primeira tomado o marido da segunda como uma vingança por achar-se incapaz de ter o mesmo talento. Na passeata, uma passa à outra o microfone.

No discurso, entre cartazes de protestos, as duas demonstram inocência em acreditar na palavra do então ministro da Justiça, Gama e Silva, que antes, em 1967, havia liberado a peça “Navalha na Carne”, de Plínio Marcos, com Tônia e Paulo Cesar Pereio.

No final daquele 1968, a loura e consagrada atriz que achou ter dobrado o ministro com charme e veneno, veria nas manchetes o peso do AI-5, que se dependesse de Gama e Silva teria imposto mais violência ainda nos atos de censura por todo o Brasil.

O potiguar Valério Andrade testemunharia, in loco, uma cena que gerara fofocas na imprensa dos anos setenta, quando sobre a atriz pairava a suspeita de um love affair com o cronista Ruben Braga. “Vi ambos entrando no saudoso Cine Palácio”, me disse.

Tônia Carrero carrega em sua história de vida, que nessa quinta-feira completa 90 anos, uma grande fatia da própria história do teatro, do cinema e da televisão do Brasil. Poucas tiveram um rosto e corpo bonitos tão alinhados com um grandioso talento.

A arte cênica deve a ela a descoberta de um dos maiores atores do país, Paulo Autran, seu colega de meninice e irmão de geração, nascidos que foram no mesmo 1922 da Semana de Arte Moderna. Foi a garota Tônia quem insistiu para o amigo fazer teatro.

Ela e Paulo consagraram a dramaturgia nacional, desde o dia em que pela primeira vez atuaram juntos, em 1949, na peça “Um Deus Dormiu lá em Casa”, baseada em texto de Guilherme Figueiredo e montada pelo recém-criado Teatro Brasileiro de Comédia.

A criação do TBC tem em Tônia um ícone artístico e emocional, posto que o primeiro diretor, Adolfo Celi, foi também o marido que ela roubou de Cacilda Becker e com quem formou um produtivo grupo que tinha como terceiro membro o amigo Autran.

Sua presença em “Apassionata” foi determinante para a estreia de Paulo Autran nas telas do cinema, um forte sintoma da longeva parceria que eles teriam pela vida afora e que o já falecido ator sempre fez questão de destacar com rasgadas louvações à amiga.

A fantástica carreira dessa legenda de 90 anos está no livro biográfico “Tônia Carrero – Movida Pela Paixão”, lançado em meados de 2009 pela Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, na Coleção Aplauso, e escrito pela jornalista e autora Tânia Carvalho.

Exatamente naquele ano, pela última vez Valério Andrade fez contato com a hipnótica diva. Foi à sua casa, no Jardim Botânico, entregar-lhe o Prêmio Personalidade, do Festival de Cinema de Natal. O palco da atriz, infelizmente, já se resumia a uma cadeira de rodas. (AM)

 

Viaturas
O sumiço de parte da frota da PM que fazia rondas em Natal e Grande Natal será, felizmente, reparado em breve, segundo uma fonte próxima à governadoria. Foram adquiridos novos carros que logo estarão nas ruas. Pelos menos é o que se espera.

TV blá blá blá
A Receita Federal deixará de recolher este ano, por causa da propaganda política na TV e rádio, mais de R$ 606 milhões, já que as emissoras tem renúncia fiscal para exibir a baboseira eleitoral. Desde 2002, o erário deixou de faturar mais de R$ 4 bilhões.

Altos custos
As campanhas de José Serra (PSDB) e Fernando Haddad (PT) em São Paulo são um contraponto à pobreza das campanhas em Natal. Os produtores dos dois candidatos estão usando equipamentos de última geração em Hollywood nas gravações.

Mentira de cinema
O marqueteiro petista João Santana está usando uma câmera Alexa, no valor de US$ 60 mil, usada pelo cineasta Lars Von Trier no filme Melancolia. Já o bruxo tucano Luiz Gonzalez usa uma Epic, mesma dos filmes Piratas do Caribe e Homem-Aranha.

FHC versus Lula
O portal iG está com uma enquete no ar sobre qual foi o melhor presidente do Brasil. Com cerca de 150 mil votos postados, FHC vai liderando com o dobro de Luiz Inácio, o segundo. Na terceira posição, empate técnico entre Itamar, Dilma e Collor.

O bossa nova
Ontem, no programa O Maior Brasileiro de Todos os Tempos, do SBT, o público deu 71% dos votos para o ex-presidente JK na disputa direta com o rei Pelé. Na nova enquete que entrou no ar, o confronto agora é entre FHC e a Princesa Isabel.

Sem salário
A professora e ex-secretária de Educação, Eleika Bezerra, candidata a vereadora pelo PSDC, registrou em cartório sua “carta aberta” aos cidadãos de Natal, em que abdicará do salário na Câmara para fazer doações a entidades que lutam pela Educação.

Papo com Wober
O ex-deputado e ex-vereador Vober Junior (PPS) realiza logo mais, 19h, no Versailles do Espaço América, um bate-papo com amigos e apoiadores da sua candidatura a vereador, quando discutirá os problemas e o futuro da cidade de Natal.

SOS Marizão
As torcidas do Corintians e do Caicó, na cidade seridoense, deveriam cobrar das lideranças políticas estaduais que a visitam atrás de votos para seus candidatos uma atitude em favor da recuperação do estádio Marizão, que está ameaçado de fechar.

Ronaldo x Messi
Na disputa hoje da Supercopa da Espanha (ao vivo no Esporte Interativo), mais num confronto entre os dois maiores craques da atualidade. Com vantagem do português, que marcou nos últimos três clássicos, enquanto o argentino passou nos quatro últimos.

Compartilhar:
    Publicidade