Torcedor enfrenta chuva e estacionamento a R$ 150 para ver jogo da seleção

Estacionamentos cobravam até R$ 150 para quem quisesse parar nos arredores do Morumbi. Trânsito foi intenso mesmo a três horas do início do amistoso entre Brasil e Sérvia

Torcedoras brasileiras fazem faixa em apoio a Neymar, principal esperança da seleção na Copa 2014. Foto: Divulgação
Torcedoras brasileiras fazem faixa em apoio a Neymar, principal esperança da seleção na Copa 2014. Foto: Divulgação

Chuva, frio, trânsito e preços abusivos. Quem dedicou a tarde desta sexta-feira para assistir no Morumbi ao amistoso entre Brasil e Sérvia, o último da equipe treinada por Luiz Felipe Scolari antes da estreia na Copa do Mundo, precisou ter paciência e dinheiro no bolso.

Com os metroviários em greve na cidade de São Paulo pelo segundo dia consecutivo, o trânsito foi intenso desde a manhã – o congestionamento atingiu 239 quilômetros às 10h, recorde no período, segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). Contribuiu para a lentidão também o mau tempo, com chuva fraca, porém constante. A três horas do início do jogo, marcado para 16h, o acesso ao estádio exigiu paciência por causa do acúmulo de veículos.

Quem tentou compensar a falta de opções no transporte público indo ao Morumbi de carro também precisou de desapego ao dinheiro. Estacionamentos nos arredores do estádio cobravam até R$ 150 por uma vaga.

Fábio Augusto Trevisan veio de Sorocaba, a cerca de 100 quilômetros de São Paulo, com a esposa Carolina e o filho Pedro. Apesar de ser de outra cidade, não enfrentou congestionamento para chegar ao estádio, mas precisou negociar para amenizar o prejuízo com estacionamento, que saiu por R$ 70.

“Eu nunca vim num jogo do Brasil. Jogo da Copa, não deu. Então é o que deu. É um bom passeio. E hoje tudo é caro. Se eu fosse para o cinema, comprando pipoca… Se for somar tudo isso dá uns dois ou três cinemas”, disse o torcedor, que estima desembolsar R$ 600 para passar a tarde com a família no estádio.

A família Trevisan ficou em um dos setores descobertos do estádio do São Paulo, com preços variando entre R$ 100 e 180.

A movimentação de pessoas pelo Morumbi ainda era tranquila até às 14h. Intensos estavam os ambulantes, que vendiam de capas de chuva até balões de ar em formato de Fuleco, o mascote da Copa. Teve também quem foi ao Morumbi apenas para aparecer, como Eduardo Braguinoli, fantasiado e com uma bicicleta personalizada com cores do Brasil.

“Saio para curtir e já é tradicional no ABC, meu apelido lá é Esquerdinha do Ramalhão. É uma coisa que gosto de fazer para distrair. Não tenho dinheiro para entrar. A gente, aposentado, ganha pouquinho, né.”

Fonte: IG

Compartilhar:
    Publicidade