Torcida volta a cobrar elenco do Vasco antes do jogo contra o ABC

Torcedores entraram pelo acesso social e não foram impedidos pela segurança do clube

Integrantes da facção pediram para conversar com o preparador de goleiros Carlos Germano. Foto: Divulgação
Integrantes da facção pediram para conversar com o preparador de goleiros Carlos Germano. Foto: Divulgação

O último treino do Vasco antes da partida decisiva com o ABC, terça-feira, pela Copa do Brasil, começou com muita conversa e cobrança da torcida. Com a saída de Adilson Batista, e ainda sem treinador definido, o auxiliar técnico Jorge Luiz comandou a atividade em São Januário. Mas, antes de tudo, ele reuniu o time para um “bate-papo”.

A comissão técnica entende que este é o momento de tentar passar tranquilidade para o elenco após a goleada de 5 a 0 para o Avaí em São Januário no último sábado. Sem tempo para trabalhar, Jorge Luiz vai tentar, ao menos, levantar a cabeça dos jogadores após o vexame em casa.

O problema é que não é possível trabalhar com a tranquilidade que o momento exige quando o local de trabalho tem a presença, novamente, de integrantes de uma facção de torcida organizada, como ocorreu na última sexta-feira. Dessa vez, dezenas de integrantes entraram no estádio pelo acesso social sem serem impedidos pela segurança. Eles chamaram o preparador de goleiros Carlos Germano para uma conversa, enquanto os jogadores treinavam. Não houve manifestações violentas.

O volante Guiñazu reconheceu o momento ruim, mas afirmou que os jogadores estão trabalhando forte para melhorar a situação do time na tabela.

“Torcedor pode fazer o que quiser. Mas quando vamos para campo, damos o máximo. Não é brincadeira, estamos trabalhando sério aqui, não estamos a passeio no Rio de Janeiro. Ainda estamos vivos. Cada um sabe se pode dar mais ou não. Vamos juntar nossas forças”.

Por outro lado, o argentino condenou os protestos dos torcedores na sede do clube.

“Não sou favorável a receber torcedor no vestiário. Vestiário é dos jogadores. Conversar na rua, pode. Não vejo problema. E, pagou o ingresso, pode fazer o que quiser”, concluiu.

Para avançar à próxima fase da Copa do Brasil, o Vasco precisa de uma vitória ou um empate com mais de dois gols em Natal.

Fonte: O Globo

Compartilhar: