Trabalhadores são requisitados em média 3 vezes por mês no Porto

A média de ganho por trabalhador/mês varia de R$ 1 mil a R$ 1,8 mil

Segundo dados do Sindicato dos Estivadores de Natal, a média de ganho por trabalhador no mês é de R$ 1 mil a R$ 1,8 mil. Foto: Arquivo
Segundo dados do Sindicato dos Estivadores de Natal, a média de ganho por trabalhador no mês é de R$ 1 mil a R$ 1,8 mil. Foto: Arquivo

A importação de trigo, pás e componentes para eólicas e a exportação de frutas vem garantindo aos trabalhadores registrados e cadastrados do porto de Natal, apenas entre duas até quatro participações em operações de embarque e desembarque por mês.

Na categoria dos registrados – criada em 1993 para os trabalhadores com participação assídua em todas as operações -, o número de vezes em que eles são requisitados para trabalhar é de três a quatro vezes, ao passo que os cadastrados (aqueles chamados para reforçar o quadro em caso de necessidade) de duas a três vezes.

Segundo o presidente do Sindicato dos Estivadores de Natal, Lenilton Caldas, a média de ganho por trabalhador/mês varia de R$ 1 mil a R$ 1,8 mil para os cerca de 300 a 350 trabalhadores que atual hoje no porto.
No ano em que a Companhia Docas trabalha no concurso para preencher 35 vagas e mais cadastro reserva para níveis fundamental, médio e superior, Natal não entrou na relação de terminais brasileiros contemplados com postos avançados recém-criados pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) para melhorar os serviços portuários no país.

Manaus, Santarém (PA), Macapá (AP), Itaqui (MA), Suape (PE), Aratu (BA), Rio de Janeiro, Itaguaí (RJ), Santos (SP), Itajaí (SC), Imbituba (SC) e Rio Grande (RS) e a Instalação Portuária de Pecém (CE) foram escolhidos por serem os mais importantes. Coimo não poderia deixar de ser, o primeiro porto a receber o posto avançado será o de Santos, que deve inaugurar sua estrutura já no próximo dia 20.

Um dos objetivos da Antac com essa iniciativa é aumentar a fiscalização nos portos selecionados sobre a prestação de serviço portuário especialmente no que diz respeito a infrações administrativas.

Esta semana, a governadora Rosalba Ciarlini deve anunciar o projeto de um novo porto federal para o Rio Grande do Norte. Hoje, o secretário de Comunicação do governo estadual, Paulo Araújo, disse que maiores detalhes sobre esse anúncio devem ser liberados ainda nesta quarta-feira (8).

A construção de um novo porto para o Rio Grande do Norte é tema recorrente desde 2005. Durante o governo Wilma de Faria, esse projeto era a menina dos olhos do então secretário de Planejamento, Wagner Araújo. O estudo foi apresentado em meados de 2006 e mostrou alternativas para as ligações ferroviárias desde a capital até alguns dos maiores centros produtiva como Mossoró, Macau e Guamaré, para ficar só nesses casos.

Com alternativas para instalação de quilômetros de esteira para carregar navios com minério de ferro, o projeto foi considerado megalomaníaco por muitos observadores, inclusive porque na época os problemas com infraestrutura eram ainda maiores.

Os detalhes do projeto do novo porto, inclusive o desenho da licitação a ser lançada, já estão em poder do Gabinete Civil. Neste fim de semana, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Rogério Marinho, voltou a criticar as atuais condições competitivas do Estado. “O Rio Grande do Norte padece de problemas crônicos de infraestrutura que o condenaram a viver eternamente numa posição subalterna em relação aos vizinhos Pernambuco e Ceará e, pior, perdendo espaço até para a Paraíba”, afirmou Marinho, que está entre os três nomes do primeiro escalão a se desligar para concorrer nas eleições de outubro.

Compartilhar:
    Publicidade