TRE aluga prédio de Collor de Melo para sessões por R$ 7 milhões

O TRE alagoano deve se pronunciar ainda hoje sobre os detalhes do locação do edifício jornalista Arnon de Mello

Contrato foi assinado dois dias após a inauguração do prédio. Foto:Divulgação
Contrato foi assinado dois dias após a inauguração do prédio. Foto:Divulgação

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Alagoas fechou, por R$ 7 milhões, contrato com o senador Fernando Collor (PTB-AL) para alugar um prédio, pertencente à família dele, inaugurado recentemente no bairro do Farol, em Maceió, área considerada nobre por imobiliárias consultadas. Collor é candidato à reeleição pelo grupo do Chapão, que inclui o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e se intitula como palanque da presidente Dilma Rousseff em Alagoas.

O extrato do contrato foi publicado na edição de quarta-feira do Diário Oficial da União. Segundo ele, o TRE assina a locação com a Organização Arnon de Mello, sem definir o período de duração do contrato. Collor é o sócio majoritário da OAM. O prédio leva o nome do pai do senador, Arnon.

Pelo extrato, o contrato foi assinado no dia 27 de fevereiro, dois dias após a inauguração do prédio, por Collor e autoridades, no dia do aniversário dos 80 anos do jornal Gazeta de Alagoas, empresa mais antiga da família.

Na página pessoal de Collor no Facebook, o senador não cita a inauguração do prédio. No dia 26 de fevereiro, porém, a Secretaria de Comunicação de Maceió mostra foto do prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB), ao lado de funcionários da Gazeta: “É sensacional comemorar os 80 anos dessa instituição. Esse prédio faz parte da nossa história e um dos nossos trabalhos é contribuir para o desenvolvimento de Maceió”, diz, na matéria, o presidente do Instituto Arnon de Mello, Carlos Mendonça.

O TRE alagoano deve se pronunciar ainda hoje sobre os detalhes do locação do edifício jornalista Arnon de Mello. A presidente do TRE, desembargadora Elisabeth Carvalho do Nascimento, tenta comprar um prédio para o tribunal, por R$ 7 milhões. Laudos técnicos mostram que o edifício onde está instalado o tribunal, no bairro do Centro, oferece risco aos funcionários. As sessões acontecem no Tribunal de Justiça.

Fonte:Terra

Compartilhar:
    Publicidade