Treino do Chile é marcado por retorno de Vidal e prostitutas

As mulheres foram até o local para divulgar uma casa de shows em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte

Prostitutas apareceram no treino para divulgar estabelecimento. Foto: Divulgação
Prostitutas apareceram no treino para divulgar estabelecimento. Foto: Divulgação

A manhã na Toca da Raposa II, em Belo Horizonte, local de treinamentos do Chile, voltou a ser movimentada. Além de destaques dentro do CT, com a presença do volante Vidal nos treinamentos, a parte de fora também ficou recheada com a presença de três garotas de programa. As mulheres foram até o local para divulgar uma casa de shows em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Elas chamaram a atenção com roupas curtas, decotes e sorrisos largos – algo que despertou a atenção da imprensa estrangeira do lado de fora da Toca II. As dançarinas falaram com os jornalistas que a ideia da “visita” ao centro de treinamento foi do patrão delas, em busca de divulgar o local.

Elas fizeram a exposição de seu trabalho, entretanto, não conseguiram entrar na Toca II e não viram nenhum jogador.

Treinamento

Enquanto a movimentação dos jornalistas em torno das três mulheres acontecia do lado de fora da Toca II, dentro, no gramado dos treinamentos, o trabalho aconteceu com a presença do volante Artur Vidal – que se recupera de uma artroscopia no joelho direito. O jogador trabalhou no campo e se movimentou com os outros companheiros.

O médico do Chile, Giovanni Carcuro, deixou aberta a possibilidade de participação do jogador na estreia chilena na Copa, na próxima sexta-feira, contra a Austrália, às 18h (de Brasília), em Cuiabá.

“Ele está com processo de recuperação dentro do planejado. É um processo dia a dia, momento a momento. A recuperação segue em bom caminho. É difícil falar quanto tempo ele poderia jogar. É necessário seguir treinando”, disse.

O jogador participou dos instantes finais do último amistoso da equipe contra a Irlanda do Norte, na última quarta-feira, em Valparaíso. De acordo com Carcuro, a participação na oportunidade foi estudada e serviu para analisar o comportamento do jogador. A comissão técnica chilena ainda vai se reunir para decidir se o atleta vai ou não para o duelo de estreia contra a Austrália.

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade