Turista consegue selfie com Neymar e pergunta: quem é esse daí?

Sem hotel definido em São Paulo para assistir à Copa, estrangeiros se hospedam em hotel da Seleção Brasileira - mexicanos-americanos, contudo, não conhecem nenhum jogador atual do Brasil

Turistas foram parar por acaso em hotel da Seleção. Foto: Divulgação
Turistas foram parar por acaso em hotel da Seleção. Foto: Divulgação

Um grupo de turistas se considerou sortudo em meio aos fãs que tentaram sem sucesso, nesta quarta-feira, uma foto ao lado de jogadores da Seleção Brasileira. Vindos de Dallas, no Estado americano do Texas, eles estão no Brasil para acompanhar jogos da Copa do Mundo de 2014 e chegaram sem um hotel pré-definido para se hospedar. Com a recomendação de um taxista, após cinco tentativas, chegaram a um estabelecimento na Vila Mariana. O mesmo onde está concentrada a equipe de Neymar e companhia – um deles chegou a tirar uma “selfie” com o jogador do Barcelona, sem saber quem era o atleta.

O grupo é composto por três mexicanos-americanos, um boliviano, um americano e um canadense –quatro médicos e um engenheiro. Com ingressos para jogos das seleções do Japão, México e Estados Unidos, a pergunta deles para a reportagem era a mesma: como conseguir ingressos para a abertura, nesta quinta, na Arena Corinthians?

“Os brasileiros são pessoas gentis e ainda mais no hotel, onde nem sabíamos que estava a Seleção. Mas confesso que não sabemos os nomes dos jogadores – só do Kaká”, disse o engenheiro Alex Rodríguez, 39 anos, que citou o meio-campista não convocado pelo técnico Luiz Felipe Scolari. “Mas e esse da foto? Ele fez foto comigo!”, insistiu, mostrando a selfie dele com Neymar.

“Não torcemos para nenhuma equipe em especial porque, para nós, o fato de essas seleções já estarem na Copa já demonstra que são vencedoras, de alguma forma”, afirmou Rodríguez.

Ao final da entrevista, o engenheiro perguntou se a reportagem queria entrar no hall por onde passariam a comissão técnica do Brasil e os jogadores. Com a pulseira de hóspede, o acesso seria liberado até próximo da passagem.

Deu tempo de um “boa sorte” a Felipão e de ver o lado de fora da histeria dos torcedores gritando por Neymar –que, rápido, entrou no ônibus do grupo, rumo ao último treino, com fones de ouvido e um aceno breve.

Fonte: Terra

Compartilhar: