“Um f.d.p deve ter feito fofoca”, diz Milton Neves sobre briga com Datena

Apesar de antigos rumores de inimizade entre os dois, Milton nega existir rivalidade da sua parte

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Milton Neves comentou a confusão ocorrida na manhã de domingo (24), durante a transmissão ao vivo de seu programa ‘Domingo Esportivo’, da Rádio Bandeirantes.

Ele contava ao comentarista Neto uma história sobre a época em que José Luiz Datena morou na casa do então jogador José Hidalgo Neto, do Coritiba: “(Datena) Filou boia lá e até hoje é grato. Tem muita ingrata por aí, muito ingrato que não olha pra trás. Mas o Datena agradece o Hidalgo”.

Neves continuou: “Queria mandar um abraço ao José Luiz Datena, que ama o Hidalgo, porque ele não era essa estrela que é hoje, a maior estrela da televisão brasileira, e morou lá em Curitiba, na casa do Hidalgo”.

Sobre o mesmo assunto, o apresentador relatou: “Lá em Curitiba, ao contrário de você (Datena), eu passei fome e passei frio. E o Hidalgo tem o maior orgulho de ter sido seu companheiro na cidade de Curitiba. Grande Datena, deitou e rolou lá no Paraná antes de virar essa estrela nacional”.

Quando Milton Neves informava que enviaria um vinho de presente a Datena, o apresentador do ‘Brasil Urgente’ entrou no estúdio e, enfurecido, despejou uma série de xingamentos que vazaram no ar: “Meu, que merda é essa? Que merda é essa, aí cara? É o caralho”.

Ao ‘Sala de TV’, Milton Neves negou ter havido um barraco: “Datena estava fora de si. Mas não teve briga nenhuma. Só existe briga de dois e eu não briguei com ninguém. Não entendi a reação dele. Ninguém fica nervoso por ser elogiado”.

O comunicador, que também apresenta o ‘Terceiro Tempo’ na Band, tem uma explicação para a reação explosiva do colega de emissora: “Um f.d.p deve ter feito fofoca, dito alguma bobagem sobre mim ao Datena”.

Neves afirma que a confusão se limitou aos xingamentos. Ele e Datena não se encontraram depois disso: “Ele entrou (no estúdio) como um furacão, ficou um minuto e foi embora”.

Apesar de antigos rumores de inimizade entre os dois, Milton nega existir rivalidade da sua parte: “A encrenca começou há 15 anos, quando eu entrei no lugar do Datena na Record. Mas a emissora tinha que colocar alguém, ué. Estamos trabalhando juntos na Band há oito anos, temos camarim lado a lado, não tem briga. Nos encontramos em restaurantes, nossos filhos são amigos, não há rivalidade. Na minha vida só quero paz e amor, viver tranquilo com meus filhos e minha netas”.

Fonte: Terra

 

Compartilhar: