Um vilão inesquecível

Meu filho adolescente pediu e eu levei para ele o Almanaque Curioso dos Vilões de HQs e Mangás, da Coleção…

Meu filho adolescente pediu e eu levei para ele o Almanaque Curioso dos Vilões de HQs e Mangás, da Coleção Mundo Estranho, aquela revista de coisas que parecem mentiras, da editora Abril. Há 96 personagens relacionados na publicação.

Antes de entregar a encomenda, fui conferir os textos e as ilustrações, buscando os vilões do meu tempo e me inteirando dos atuais, principalmente dos que habitam as aventuras japonesas e os games tipo Playstation, Xbox, Wii e os novos Nitendo.

A revista inicia com o popular inimigo do Batman, o Coringa, e segue com o irmão rebelde do Thor, Loki, e Sinestro, rival do Lanterna Verde. Estão lá Magneto, Apocalypse e Galactus, e os clássicos Lex Luthor, Caveira Vermelha e Octopus.

Na primeira vista, parece não ter faltado ninguém: Bane, Brainiac, Irmão Metralhas, Brutus, Duas Caras, Duende Verde, Mandarim, Mulher-Gato, Gargamel, Maga Patalójika, Capitão Feio, Charada e Bizarro. Mas, na segunda espiada, faltou um cara.

Faltou um dos mais temíveis vilões que eu já presenciei nas histórias em quadrinhos com super-heróis da DC Comics, ao tempo da saudosa editora EBAL, do russo brasileiríssimo Adolfo Aizen. O almanaque não poderia ter omitido o mago Mordru.

Mordru é um dos mais assustadores e malignos vilões de HQ. Uma figura de olhos endiabrados, sobrancelhas sempre em sinal de mau-humor e uma barba que sugere um misto de Antonio Conselheiro com Fidel Castro. Um bruxo mais poderoso que Merlin.

O mais incrível e instigante roteiro com ele saiu num outro almanaque, o de Superboy em 1970. A capa traz o garoto de Kripton com o corpo inerte de Lana Lang, a namorada, nos braços. O melhor da edição está na aventura “Mordru, o Impiedoso”.

Parte do que escrevo aqui agora já narrei para os leitores, há alguns anos, quando dediquei crônica a um dos personagens daquela saga da Legião dos Super-Heróis, o grupo adolescente liderado por Superboy e por seu primo Mon-El, a quem me refiro.

Foi o mais dolorido e perigoso confronto da Legião, que inicia com Mon-El carregando Superboy nos ombros. O alter ego de Clark Kent desmaiado por causa da luta do encontro inicial com o letal inimigo. Os heróis fogem para se proteger no passado.

Enquanto Mon-El comanda a fuga numa máquina chamada “cubo do tempo”, atrás de todos cresce uma sombra negra, precedida pela voz cavernosa e assustadora de Mordru a gritar no balãozinho: “Fujam, escondam-se, tremam, encolham-se, legionários!”.

A sequência dos quadrinhos é um avanço para aqueles anos, há ritmo cinematográfico e uma narrativa de tirar o fôlego, mesmo se relida ainda hoje. Depois de impor pânico e terror nos heróis, o feiticeiro aprisiona os principais e monta um tribunal para julgá-los.

Os piores criminosos das galáxias são convidados para atuarem como testemunhas e advogados de acusação. Imóveis e sem poderes, alguns legionários, principalmente Superboy e Mon-El, são condenados. É a vingança de Mordru pela trama anterior.

Foram os dois amigos, ou primos, que o prenderam num cofre imune aos seus poderes místicos, onde ele ficou por anos. Mon-El é o elemento do único instante de heresia que eu pratiquei até hoje. Durante anos, após ler a aventura, acreditei ser ele maior que o Superman. (AM)

Invasão da UFRN

O jornalista Milton Neves denunciou ontem, no seu blog, no Twitter e na Rádio Bandeirantes, em São Paulo, que o Campus da UFRN deverá ser interditado por vários dias por causa do vice-presidente dos EUA, que vem a Natal assistir a Copa do Mundo.

Interdição

A denúncia foi estimulada pela informação postada na área de comentários do blog pelo engenheiro potiguar Ronald de Góes. O vice de Obama, Joe Biden, teria um gabinete e um alojamento na UFRN, onde nem mesmo a reitora da instituição teria acesso.

Interdição II

Segundo a postagem no blog de Neves, a interdição por vários dias seria em virtude da presença do vice e também pelo fato da seleção norte-americana usar um campo de futebol da UFRN como local de treinamento para o jogo diante da seleção de Gana.

Dilma caiu

Nova queda de intenção de votos da presidente Dilma Rousseff, agora em pesquisa do Instituto Sensus feita para a revista IstoÉ, que está nas bancas. A petista desceu para 35% e o tucano Aécio Neves foi a 23,7%. Estabelecido o quadro de segundo turno.

Oposição

A pesquisa IstoÉ/Sensus, realizada entre os dias 22 e 25 de abril, em 24 estados do país, revela que os dois principais candidatos da oposição seguem crescendo. O pernambucano Eduardo Campos (PSB) tem agora 11% da preferência nacional.

Rejeição

Índice mais perigoso para as pretensões da presidente, a rejeição permanece no patamar registrado na última pesquisa Ibope: 42%. O segundo nome mais rejeitado é Marina Silva (35,6%), seguida de Eduardo Campos (35,1%) e de Aécio Neves (31,1%).

Desaprovação

A desaprovação popular ao governo Dilma chegou aos 49,1%, enquanto que mais da metade do país, 50,2%, acha que a economia do país não está no rumo certo. Apenas 29,6% acha o governo positivo, enquanto a soma de negativo e regular chegou a 66,1%.

Cai o PT

Outro dado cheio de novidade na pesquisa é a queda vertiginosa das intenções de voto na legenda do PT, que historicamente tem entre 16% e 18%. Apenas 9,6% dos entrevistados votam no partido de Dilma, menos do dobro do PSDB, com 5,1%.

Vice de Aécio

O nome do senador potiguar José Agripino (DEM) voltou a ser comentado nas rodas de apostas sobre o vice do senador tucano na eleição de outubro. Outros nomes seguem especulados, como Aloysio Nunes, Miguel Torres e a ex-ministra do STF, Ellen Gracie.

Mossoró

Na segunda pesquisa Certus/Gazeta do Oeste, o candidato Silveirinha (PSD) segue firme para vencer amanhã, com 48,7%. O nome de Larissa Rosado (PSB) foi citado por 19,1%. A candidata aguarda ainda hoje liminar do TSE liberando sua candidatura.

 

Compartilhar: