UPA de Cidade da Esperança abre as portas, mas pediatria segue sem prazo

Unidade passará a receber urgências em clínica médica e odontológica

Com investimento na ordem de  R$ 4 milhões, UPA poderá realizar até 13,5 mil atendimentos mensais. Unidade será aberta nesta 2ª feira. Foto: Arquivo
Com investimento na ordem de
R$ 4 milhões, UPA poderá realizar até 13,5 mil atendimentos mensais. Unidade será aberta nesta 2ª feira. Foto: Arquivo

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Cidade da Esperança abrirá as portas à população nesta próxima segunda-feira (6). Sem solenidades de inauguração, já que todos os serviços ainda não serão ofertados, a unidade passará a funcionar apenas com os serviços de urgências em clínica médica e odontológica, essa última já implantada há cerca de 10 dias. Os atendimentos funcionarão em regime de 24h.

De acordo com a diretora geral da unidade, Suame Bezerra, as solenidades de inauguração foram descartadas porque ainda não foram liberados todos os setores. “Não podemos abrir tudo, então não tem lógica fazer solenidade. Não se trata de inauguração, mas sim de portas abertas. Finalmente a partir de segunda-feira os portões estarão abertos para as pessoas que precisam de atendimentos em clínica médica e odontológica”, disse.

Além desses dois tipos de serviço, a UPA da Cidade da Esperança oferecerá, futuramente, atendimento pediátrico e ortopédico. “Porém, esses ainda não estarão funcionando, nem temos um prazo exato para início dos serviços. Os equipamentos desses setores ainda estão sendo adquiridos e instalados”, conta a diretora. Segundo ela, as escalas dos profissionais atuantes nessas áreas ainda não foram finalizadas.

“Estamos trabalhando a todo vapor para que tudo possa funcionar o mais rápido possível. É chegando equipamento, abrindo a caixa e montando imediatamente. Desde 2005 que a população carece dessa unidade funcionando”, disse Suame Bezerra. “Nós começamos o atendimento odontológico e vimos que a população está se sentindo mais amparada. É muito bom saber que finalmente estamos atendendo essas pessoas”, afirmou.

Com investimento na ordem de R$ 4 milhões, obtidos por meio de recursos federais e municipais, parte integrante da Rede Municipal de Urgência e Emergência, a UPA da Esperança poderá realizar até 13,5 mil procedimentos médicos mensais. A unidade contará com uma média de 180 profissionais, entre clínicos gerais, pediatras, ortopedistas, enfermeiros, assistente social, farmacêutico, bioquímico, nutricionistas, técnicos de enfermagem, de laboratório, administrativo, além de equipe de apoio.

As Unidades de Pronto Atendimento oferecem assistência de emergência 24h por dia, todos os dias da semana, e ajudam na estruturação da rede de atendimento integrada, reduzindo inclusive o tempo de espera da população por atendimento.

Os moradores da Cidade da Esperança, que nesses últimos anos recorriam aos atendimentos nos bairros de Cidade Satélite e Rocas, agora poderão voltar a ser atendidos nas proximidades de suas residências. Enquanto os serviços de pediatria não voltarem a funcionar, ainda será preciso que os pacientes se desloquem o Pronto Socorro Infantil Sandra Celeste.

Dona Maria da Glória, aos 78 anos, comemora a abertura da UPA no “quintal” de sua casa. “Rezei muito nesses últimos anos para que tudo voltasse a funcionar. Não apenas por mim, que já estou em idade avançada, mas também por diversas pessoas que dependem do serviço público. Quando algo faz bem ao próximo, me faz bem em dobro”, disse.
Ela lembra das dificuldades para ter acesso à uma unidade de saúde. “Já teve dia em que precisei me deslocar até o Hospital dos Pescadores, nas Rocas, sem muita facilidade de locomoção. Só eu sei o quanto era difícil. Fico feliz em saber que finalmente seremos amparados”, destacou Maria da Gloria.

Selma dos Santos, 62, moradora do bairro desde a sua fundação, disse que “melhor início de ano não poderia haver”. “As dificuldades de atendimento na rede pública sempre foram grandes. Só quem precisa sabe disso. Eu e minha família sempre precisamos e diversas vezes tivemos que recorrer às unidades de atendimentos em outros bairros. Graças a Deus olharam por nós”, afirmou.

Compartilhar: