Uruguaio fica no jogo após joelhada e diz: “foi uma loucura”

O médico Alberto Pan havia pedido a substituição de Álvaro

Álvaro Pereira leva uma joelhada de Sterling na cabeça. Foto: Diuvlgação
Álvaro Pereira leva uma joelhada de Sterling na cabeça. Foto: Diuvlgação

O lateral esquerdo Álvaro Pereira protagonizou um dos momentos mais tensos da vitória do Uruguai por 2 a 1 sobre a Inglaterra, nesta quinta-feira, na Arena Corinthians. O atacante Raheem Sterling acertou acidentalmente uma joelhada no rosto do sul-americano, que caiu grogue no gramado. O jogador, entretanto, se recusou a deixar o jogo, o que classificou como “uma loucura”.

“Estava um pouco zonzo, mas com o corpo quente consegui me manter. No momento o que eu queria era ficar e ajudar a manter o resultado”, contou Pereira depois da partida. “Foi uma loucura do momento. Queria ajudar meus companheiros, mas depois pedi desculpas para o doutor. Continuei a jogar e conseguimos a vitória, que era o que queríamos”, disse.

O médico Alberto Pan havia pedido a substituição de Álvaro, que seguiu até o final e ajudou a manter o resultado positivo pelo Grupo D da Copa do Mundo. O lateral já foi examinado e não foi constatado nada de mais grave.

“Lembro que senti o golpe e quando percebi estava no gramado. O importante é que tudo saiu bem, foi só um susto”, resumiu o jogador, que atua no São Paulo e aprovou as camisas tricolores na Arena Corinthians. “Vi muitas camisas do São Paulo, por mais que esse seja o estádio do rival. O importante é que hoje estava defendendo minha seleção. Foi muito emocionante e ficamos com esperanças de passar de fase”, afirmou.

Para seguir às oitavas de final, o Uruguai precisa superar a Itália ou, caso a Costa Rica seja derrotada pelos italianos nesta sexta, poderá avançar com um empate caso o time da América Central perca para a Inglaterra. “Fomos inteligentes durante toda a partida, confiamos em nós mesmos, tratamos como uma final. Agora é descansar e pensar na Itália. Dependemos de nós mesmos, o que é mais importante”, ressaltou Álvaro Pereira.

Fonte: Terra

Compartilhar: