Uso de aplicativos para mensagens ameaça serviço de SMS das operadoras

A consultoria atribui a queda à popularização dos serviços de mensagem instantânea como WhatsApp, Line Messenger e We Chat no mundo

Aplicativos como o WhatsApp ameaçam serviço de SMS oferecido por operadoras de telefonia móvel. Foto:Divulgação
Aplicativos como o WhatsApp ameaçam serviço de SMS oferecido por operadoras de telefonia móvel. Foto:Divulgação

O aumento do uso de aplicativos de mensagem instantânea ameaça o serviço de SMS das operadoras brasileiras, que em resposta lançam pacotes de mensagens ilimitadas para clientes e focam no segmento corporativo, em uma tentativa de retardar a queda de receitas com o produto, segundo analistas.

Estudo divulgado no início de janeiro pela empresa de pesquisa Strategy Analytics mostrou que a receita com SMS das operadoras globais caiu pela primeira vez no ano passado, atingindo 104 bilhões de dólares, baixa de 4 por cento na comparação com 2012.

A consultoria atribui a queda à popularização dos serviços de mensagem instantânea como WhatsApp, Line Messenger e We Chat no mundo, o que poderá levar a uma queda de 20 por cento nas receitas com SMS até 2017.

No Brasil, a baixa ainda não é gritante, mas as operadoras já registram uma desaceleração dessas receitas.

“Existe uma migração para os dados, os usuários praticamente não utilizam mais SMS”, disse Marceli Passoni, analista da consultoria Informa Telecoms & Media.

Mas na opinião de Alexandre Fernandes, diretor de serviços de valor agregado da Telefônica Vivo, o SMS resistirá aos novos aplicativos por enquanto. “Não necessariamente o Whatsapp vai roubar o SMS. Isso não muda de um dia para o outro. Essas ferramentas podem conviver”, declarou.

Porém, o executivo admite que dificilmente as receitas com mensagens de texto voltarão a subir 20 a 30 por cento como já ocorreu em anos anteriores. No terceiro trimestre, as receitas da Vivo com SMS cresceram 5 por cento sobre um ano antes, somando 506,3 milhões de reais ou pouco menos de um terço do faturamento de dados e serviços de valor agregado no período.

Desafiando o Whatsapp

Além de focar o SMS como instrumento de marketing para anunciantes em celulares, as operadoras também têm estudado adotar aplicativos semelhantes aos líderes do segmento, como o Whatsapp, na tentativa de forçar uma migração.

Fonte:Bol

Compartilhar:
    Publicidade