Usuários dos Correios reclamam de atrasos na entrega de correspondências

Em alguns casos, tempo de espera demorou quase 30 dias

Miguel Arcanjo sofreu prejuízos com o envio de encomendas e documentos através de serviços como Sedex e PAC. Foto: José Aldenir
Miguel Arcanjo sofreu prejuízos com o envio de encomendas e documentos através de serviços como Sedex e PAC. Foto: José Aldenir

A demora na entrega de correspondências pelos Correios está causando transtornos para quem procura os serviços, na Região Metropolitana de Natal. Usuários reclamam que chegaram a passar até um mês aguardando receber uma encomenda e também problemas com a entrega de faturas de cartões de crédito, que chegam quase sempre após a data de vencimento, prejudicando a população.

Uma das pessoas afetadas foi o agropecuarista Miguel Arcanjo, que passou 30 dias de expectativa aguardando que uma encomenda sua encaminhada para o genro, que reside em Maceió, chegasse ao destino. Ele disse que essa foi a segunda vez em que sofreu algum tipo de prejuízo por causa de atraso na entrega de correspondências e que chegou a ir diversas vezes até os Correios, para resolver o impasse.

“Antes, já tinha sido prejudicado com o atraso de uma encomenda que enviei por Sedex, que deveria ter sido ágil e chegado ao seu destino em até sete dias, mas que demorou mais de dez, provocando algumas complicações. Agora, aconteceu de novo com essa encomenda PAC, que deveria ter chegado em dez dias e demorou 30 para chegar em Maceió. Se demora em um local perto, imagine em um mais longe”, desabafou.

Miguel disse ainda que, durante a espera, questionou funcionários da empresa para saber a localização da encomenda, mas que nenhum deles soube informar nada. “Fui lá várias vezes, para saber o que tinha acontecido com o material que enviei, mas sempre que perguntava a alguém, nenhum deles me dizia nada, simplesmente porque não sabiam onde a encomenda estava. Só soube depois que consegui contato com uma pessoa ligada à diretoria dos Correios”, afirmou.

O autônomo José Wellington também passou pela mesma apreensão que Miguel Arcanjo no último mês, aguardando uma encomenda PAC que saiu de São Paulo no dia 1º de julho e só chegou às suas mãos no último dia 29. E que, mesmo assim, só recebeu o material porque se deslocou até o Centro de Distribuição de Correspondências (CDC) do Alecrim, onde estava a caixa.

“Estava acompanhando via rastreamento virtual, que eles mesmos disponibilizam e não tinha nenhuma informação sobre o destino da caixa com as peças, que encomendei de São José dos Campos. Esperei até o dia 29, e quando me preparava para fazer uma reclamação formal à empresa, recebi a mensagem que a minha correspondência havia chegado. O que devia ter chegado em dez dias, passou quase um mês”, explicou.

Informada sobre as reclamações dos clientes sobre os atrasos nas entregas das correspondências, a assessoria de comunicação dos Correios afirmou que os problemas ocorridos já foram corrigidos e que os serviços de entrega estão funcionando normalmente e que nenhuma encomenda fica retida nos CDCs que atendem a Região Metropolitana de Natal.

Compartilhar: