Valores para mudanças

Por Merval Pereira O documento que o PSDB lança hoje, como ponto de partida para a elaboração do programa de…

Por Merval Pereira

O documento que o PSDB lança hoje, como ponto de partida para a elaboração do programa de governo que apresentará à sociedade no começo do próximo ano para lastrear a candidatura do senador Aécio Neves à presidência da República, parte do princípio de que “há um sentimento de inquietação e frustração comum a todos. Há um sonho e um desejo de mudança comum a muitos brasileiros”.

O PSDB acredita que, ao contrário de 2010, quando o sentimento predominante no país era o de continuidade, hoje há uma vontade de mudança que permite vislumbrar uma possibilidade maior de vitória para a oposição. Por isso Aécio Neves vem dizendo que quem chegar ao segundo turno contra a presidente Dilma tem grande chance de ganhar a eleição presidencial.

Os movimentos de aproximação com o governador Eduardo Campos, o outro candidato oposicionista bem posicionado nas pesquisas, têm o objetivo principal de criar um ambiente de união entre as oposições, que nunca houve nas eleições anteriores em que o PT venceu, sempre no segundo turno, mas deixando um patrimônio eleitoral considerável para a oposição, entre 40% e 43% dos votos, fosse candidato Serra ou Alckmin.

Considerando que o PSDB é um partido mais abrangente do que o PSB, com mais tradição de oposição, Aécio acredita que será ele o candidato a estar no segundo turno, e pretende agregar ao eleitorado oposicionista os eleitores que, não sendo cativos do PT, acabam votando no candidato petista por falta de opções.

Com o documento que apresentará hoje, o PSDB pretende começar a discutir os valores em que se fundamenta a candidatura de Aécio Neves, “valores que vêm sendo aviltados no país nos últimos anos”. A crítica a um ambiente econômico “fechado em ideologias” tem como objeto a intervenção estatal, e propõe “um ambiente econômico estável, competitivo e sustentável, (…) livre de dogmas do passado que não funcionam mais”.

Para evitar a acusação de ser liberal, ou neoliberal, o documento dos tucanos defende “uma visão social libertadora, que defende a atuação do Estado na proteção e na garantia dos direitos de cada cidadão, acredita na força transformadora de cada pessoa e na obrigação dos governos de criar condições para que ela floresça”.

A definição do papel do Estado de assegurar “melhor ambiente para o investimento e o desenvolvimento” e garantia de igualdade de oportunidades é clara, para garantir a confiança “na sociedade que construímos, no ambiente em que vivemos e produzimos”.

Para restabelecer a confiança da sociedade no Estado, o PSDB anuncia seu “compromisso com o combate intransigente à corrupção, com a democracia, com a restauração da ética, com o respeito às instituições, com a recuperação da credibilidade perdida e com a construção de um ambiente econômico adequado para o desenvolvimento do país”.

A eficiência do estado a serviço dos cidadãos é um compromisso do documento que tem a ver com as manifestações populares de junho, reconhecidas como expressões legítimas dos “direitos dos cidadãos”. O poder público, dirá o documento, deve estar integralmente a serviço de todos os brasileiros, por meio de ações eficientes em segurança, transporte público, saúde e, em especial, educação.

A defesa da gestão pública eficiente, uma das principais bandeiras da candidatura tucana em 2014, está assumida no documento, que diz que “só um Estado eficiente, justo e transparente é capaz de perseguir estes objetivos, devolvendo em forma de melhores serviços o que os cidadãos recolhem em tributos”.

Ao falar da prosperidade, um dos valores básicos juntamente com confiança e cidadania, o documento do PSDB dá sua definição sobre a política de desenvolvimento que pretende adotar: “(…) o bem-estar das famílias brasileiras deve ser o principal objetivo de uma política de desenvolvimento”.

O documento define uma visão social com objetivo de “resgatar a enorme dívida social que o país ainda tem com milhões de cidadãos e garantir às novas gerações as condições para viver num Brasil mais justo, democrático e desenvolvido, onde riquezas que pertencem a todos estejam a serviço de todos”.

E não se esquece de que é preciso organizar um país “em que o conhecimento, a renda e as oportunidades sejam distribuídas com justiça”, ao mesmo tempo uma crítica ao modelo atual e um compromisso de futuro. (MP em O Globo)

 

Nada é espontâneo
Ninguém se engane, principalmente a imprensa, com os tais “rolezinhos” e “passeios de pintas” pelos shoppings de todo o Brasil. É uma ação planejada com objetivos de atingir os mais sagrados bens republicanos: a propriedade privada e a livre iniciativa.

Marketing
Os jornais do Sudeste falam que amigos de Aécio Neves procuram conversar com Duda Mendonça, depois que o senador dispensou o marqueteiro Renato Pereira. Não será fácil fechar acordo com o baiano, que anda prestando serviços a Gilberto Kassab (PSD).

Propaganda
“Na política do século 21, a necessidade mais primária é conectar-se diretamente aos eleitores. Aparecer no ‘Jornal Nacional’ é importante. Para chegar à Presidência da República pode ser pouco”. Do escritor Ruy Castro na Folha de S. Paulo.

Jeito caseiro
Quem está retornando do limbo político após o episódio do caseiro Francenildo é o ex-ministro Antonio Palocci. Vai participar do núcleo duro da campanha de Dilma Rousseff, buscando contatos e apoios no grande empresariado nacional.

Ficha limpa
As teses são muitas sobre a inelegibilidade da governadora Rosalba Ciarlini, algumas delas remetendo à capa da revista Época que está nas bancas (vejam e leiam). A verdade é que o processo foi transitado em julgado e por isso pouco caberia na apelação.

Vício de linguagem
E todo mundo na mídia continua usando o verbo determinar para algumas iniciativas do Ministério Público, a quem não cabe a conjugação que pertence ao Judiciário. Gente, o MP orienta, sugere, investiga e denuncia. Quem determina é juiz ou desembargador.

Empreendimento
Muita gente ontem à noite no Iate Clube para o lançamento do sofisticado condomínio “Summer Breezes”, projeto da construtora Coengen na praia de Muriú, litoral norte. Uma privilegiada faixa de terras para quem sonha com a vida à beira do Atlântico.

Presente FC
Uma grande opção para presente natalino aos amigos que curtem futebol está no quiosque da Liga Retrô, no segundo piso do Natal Shopping. Camisas no estilo vintage em homenagem aos grandes times e seleções que atuaram no passado.

Livros e e-books
Um dos maiores publicitários do país e cheio de amigos em Natal, Lula Vieira está no comando de um super projeto editorial, ao lado de sócios, o Grupo 5W, especializado na administração de editoras e na curadoria de eventos culturais. Já são 8 editoras.

Compartilhar: