Vazamentos de água e esgoto causam transtornos em diversas áreas de Natal

Bueiros e tubulações rompidas em avenidas de grande fluxo de veículos chegaram a provocar acidentes

Foto: Wendell Ferfferson
Foto: Wendell Ferfferson

Carolina Souza

acw.souza@gmail.com

A Companhia de Água e Esgoto do Rio Grande do Norte (Caern) deverá ter um começo de mês agitado, devido a diversos vazamentos provocados com o rompimento de tubulações da companhia.

Nesta terça-feira (1), a Avenida Felizardo Moura, no Bairro Nordeste, registrou um novo transtorno entre os motoristas, em função de uma grande quantidade de água potável que invadiu a via. Ontem, o fluxo na avenida foi comprometido devido uma cratera aberta no domingo (30), com o rompimento de uma tubulação de esgoto.

A Unidade de Operação e Manutenção da Rede de Água da Regional Natal Sul se pronunciou através da assessoria de imprensa da Caern e informou que o vazamento de água identificado na manhã de hoje veio da Rua Gutemberg Freire, perpendicular à Avenida Felizardo Moura. O problema começou a ser solucionado por uma equipe da Companhia no final da manhã de hoje.

Com a tubulação estourada na Rua Gutembergue Freire, a água limpa se misturou à rede de esgoto do Bairro Nordeste, provocando mau cheiro e a abertura de um pequeno buraco ao lado da cratera que foi recalcada na manhã de ontem. O resultado disso é o registro de tráfego lento na região.

O maior problema da Caern é que os serviços que precisam de urgência só parecem aumentar. Ao lado de um hipermercado em Lagoa Nova, na Avenida Antônio Basílio, um bueiro jorrando esgoto no meio da avenida também vem causando transtorno entre os motoristas. Sobre esse bueiro, a Caern informou que enviará uma equipe na tarde desta terça-feira para averiguar a situação.

Quem não aguenta mais cobrar por uma solução da Caern são os moradores do condomínio residencial Torres da Amintas Barros, próximo à Avenida 6, no bairro Dix-Sept Rosado. Segundo o administrador do condomínio, Flávio Batista, há mais de um mês que um bueiro está jorrando esgoto na rua, em frente ao residencial, provocando até acidentes entre veículos que precisam desviar do buraco aberto pela pressão da água.

“Perdi as contas de quantas vezes liguei para eles solucionarem isso aqui. O esgoto começou a aparecer antes da Copa do Mundo e a situação só piora”, afirmou Flávio. “Tenho ligado para vários setores. Temos até o número do protocolo gerado, mas nada é feito”, disse.

Foto: Wendell Ferfferson
Foto: Wendell Ferfferson

CAERN RESPONDE

A reportagem entrou em contato com a Caern e informou o número do protocolo repassado pelo administrador do condomínio (nº 2267543) para saber se há algum registro de serviço a ser feito no local. De acordo com a Companhia, esse número de protocolo foi gerado hoje, 1 de julho de 2014, e encaminhado para o setor específico.

Segundo a assessoria de imprensa do órgão, a reclamação pode até ter sido feita anteriormente, mas não foi gerado um protocolo1, situação que impediu o atendimento à reclamação. Porém, nas diversas tentativas de contato com a Caern, o administrador Flávio Batista disse a Companhia se responsabilizava por mandar uma equipe.

“Vai fazer oito dias que uma equipe veio aqui e ficou de mandar um engenheiro, mas ninguém veio mais. Enquanto isso, o risco aos motoristas continua. As pessoas estão com dificuldade de andar por aqui por ter que desviar do bueiro e do buraco. Registramos um acidente sério envolvendo um motoqueiro e diversas pessoas prejudicadas com seus pneus furados”, informou.

Rosália Pereira, 35, mora a cinco anos no residencial e disse que o bueiro apresenta problemas recorrentes. “Sempre que chove isso aqui vira um problema. Dessa vez, o mau cheiro está chegando até o meu apartamento, que é no 16º andar”, disse. O subsíndico do condomínio, Diogo Lima, também ponderou alguns questionamentos.

“Não se trata só de um problema que causa acidente, mas também o mau cheiro na região e proliferação de mosquitos e insetos. As pessoas estão deixando de transitar nas dependências do condomínio para não pegar alguma doença, principalmente com as crianças”, relatou.

Compartilhar:
    Publicidade