Veja os prós e os contras do novo leitor digital Kindle Paperwhite

Modelo 2013 do leitor de livros digitais traz processador mais rápido e recursos que agilizam a leitura

No novo modelo, os leitores não podem mais reclamar da iluminação para a leitura. Foto:Divulgação
No novo modelo, os leitores não podem mais reclamar da iluminação para a leitura. Foto:Divulgação

Com o lançamento do primeiro Kindle Paperwhite, em 2012, a Amazon finalmente atendeu a uma antiga reivindicação dos usuários: um sistema de iluminação que permitisse a leitura no escuro. Essa novidade, também presente em alguns concorrentes da época, foi suficiente para colocar o Paperwhite no topo de sua categoria.

A edição 2013 do produto, lançada no fim do ano passado, chega sem grandes novidades. Ela traz um processador mais rápido e um sistema de iluminação aprimorado, mas de resto apenas mantém o design já vencedor do primeiro Paperwhite.

No Brasil, os concorrentes mais próximos do Paperwhite são o Kobo Glo e o Kobo Aura HD, ambos com tela iluminada. Um novo modelo da Kobo, o Kobo Aura, tem tamanho similar ao Paperwhite e deve ser lançado em breve no País

Confira mais detalhes do novo Paperwhite na análise.

A favor:

Tela extremamente nítida em ambientes com ou sem luz;
Aparelho é leve, rápido e fácil de usar;
Excelente acervo de títulos em inglês.

Contra:

Acervo em português é maior do que o de rivais, mas ainda precisa melhorar;
Não tem suporte para livros no formato Epub

Design

É praticamente impossível distinguir o novo Paperwhite do modelo de 2012. As dimensões são as mesmas e a área ocupada pela tela também. A única diferença visível fica atrás, onde o logo do Kindle foi substituído pelo logotipo da Amazon.

O Paperwhite tem uma traseira ligeiramente emborrachada, o que facilita a pegada. A tela de 6 polegadas vêm se tornando padrão entre e-readers e é fácil explicar os motivos. Esse tamanho combina boa portabilidade (o Kindle cabe até em bolsos de calças jeans) e boa área para leitura.

Como seu antecessor, o novo Paperwhite tem apenas um botão físico, o liga/desliga. Ele fica na parte inferior, ao lado do conector microUSB.

Configuração

A mudança de configuração mais significativa é o novo processador. Segundo a Amazon, ele é 25% mais rápido do que o chip da geração anterior do Paperwhite. Na prática, o novo chip deixa as trocas de páginas um pouco mais rápidas.

A memória total do aparelho continua sendo de 2 GB, com 1,3 GB livre para livros. Segundo a Amazon, esse valor é suficiente para armazenar mais de mil livros no aparelho. Aqui, vale observar que todos os livros comprados pelo usuário também ficam guardados nos servidores da Amazon (que têm espaço ilimitado) e podem ser baixados a qualquer momento.

A transferência de livros é feita por meio de Wi-Fi (existe uma versão com 3G do Paperwhite 2012 à venda no Brasil, mas o Paperwhite 2013 com 3G ainda não é vendido por aqui). Como os arquivos de livros são pequenos, a transferência normalmente é feita em poucos segundos.

Tela

A tela do novo Paperwhite mantém a excelente resolução do modelo anterior e traz ligeiras melhorias na iluminação. Com densidade de pixels de 212 ppp, a tela permite ler com clareza os textos mesmo com o aparelho inclinado. E a iluminação garante uma leitura confortável também no escuro.

O sistema de iluminação do novo Paperwhite distribui a luz de modo mais homogêneo pela tela, evitando assim áreas muito claras ou escuras.

Na prática, ela é um pouco mais suave do que a do modelo anterior. O sistema de iluminação tem 24 níveis de intensidade.

Mudar as páginas é simples. Basta tocar na área direita da tela para adiantar e tocar na parte esquerda para voltar.

Os gestos de deslizar o dedo para esquerda ou direita (comuns em tablets) também funcionam.

Sistema e loja

A tela principal do aparelho traz os livros atualmente baixados e atalhos para recursos úteis, como a controle da iluminação, pesquisa e loja. Ficou faltando apenas um botão de acesso rápido para desligar ou ligar o Wi-Fi (para fazer isso é necessário ir até a página de configurações do aparelho).

É possível comprar livros diretamente do Kindle, acessando a loja da Amazon. A empresa tem acervo de mais de 2 milhões de livros em sua loja, mas a maioria é em inglês. Em português, a quantidade é de cerca de 27 mil, incluindo aí muitos livros de domínio público e obras independentes.

O acervo em português vem melhorando, mas é inegável que em muitas áreas mais específicas o catálogo deixa a desejar. Espera-se que, com a popularização dos livros digitais e a atuação mais forte da Amazon no Brail, o número de livros aumente. Para efeito de comparação, a loja do Kobo tem cerca de 19 mil livros em português.

Muitos analistas estimam que a Amazon não ganha nada com a venda dos aparelhos Kindle. O lucro da empresa viria da venda de livros.

Por isso, não é surpresa que a experiência de leitura de livros comprados na Amazon seja excelente, enquanto a leitura de livros em outros formatos de arquivos seja por vezes problemática.

O padrão PDF é suportado, mas os arquivos muitas vezes não são exibidos da melhor forma. Para corrigir esse problema é necessário usar um software de conversão, como o Calibre.

Ainda no quesito formatos, o Kindle é o único e-reader entre os mais populares a ignorar o formato. É possível usar o Calibre para converter arquivos para um formato compatível, mas é uma tarefa a mais para o usuário.

O novo Paperwhite traz ainda alguns novos recursos que agilizam a leitura. Entre eles estão o construtor de vocabulário (reúne em uma só tela as definições de dicionário das palavras pesquisadas) e a nova caixa de definições de dicionário (as informações agora são exibidas em uma caixa sobreposta à página, e não em uma página separada).

O aparelho tem ainda recursos úteis já presentes em modelos anteriores, como informações sobre tempo restante no capítulo. Outras ferramentas úteis são os widgets e programas auxiliares que permitem enviar páginas web e documentos guardados no PC diretamente para o Kindle.

Bateria

A Amazon diz que a bateria do Kindle Paperwhite pode chegar a até oito semanas, e esse é um valor realmente plausível. O iG testou o aparelho durante um mês com uso frequente e não houve necessidade de carregar a bateria. A duração da bateria pode ser estendida desligando o Wi-Fi ou usando o sistema de iluminação com menos frequência.

Conclusão

O Kindle Paperwhite é, atualmente, o melhor leitor de livros eletrônicos do mercado. A tela é excelente, o aparelho é rápido, leve e prático de usar. O acervo em português ainda não é o ideal, mas tende a crescer à medida que a Amazon fortalece sua presença no Brasil.

Para quem já tem o Paperwhite da geração anterior, a troca pelo modelo mais novo não vale a pena. Para quem ainda pretende comprar um e-reader, o novo Paperwhite certamente é uma excelente opção. Ele é R$ 180 mais caro do que seu “irmão” Kindle, que não tem tela iluminada. Para quem pode gastar um pouco mais, a diferença de preço compensa. Outra boa alternativa é o Kobo Aura, que deve chegar ao Brasil em breve.

Ficha Técnica

Kindle Paperwhite (edição 2013)

Preço: R$ 480
Configuração: 2 GB de armazenamento (1,3 GB livre), tela E-Ink de 6 polegadas sensível ao toque com densidade de 212 ppp, Wi-Fi, porta microUSB.
Dimensões (cm): 16,9 x 11,6 x 0,8
Peso (g): 213

Fonte:IG

Compartilhar: