Verão está chegando ao semiárido potiguar e criadores voltam a temer perda do rebanho – Marcos Aurélio de Sá

Com o encerramento das chuvas, desde meados de junho, na maioria dos municípios norte-rio-grandenses incluídos na zona do semiárido, já…

Com o encerramento das chuvas, desde meados de junho, na maioria dos municípios norte-rio-grandenses incluídos na zona do semiárido, já começa a escassear a pastagem e até a faltar água para o gado em algumas microrregiões onde não houve inverno suficiente para encher os açudes.

A situação é mais grave no Seridó e na região Central do Estado, onde muitos criadores cuidam de apressar a venda para o abate dos animais que apresentam boas carnes e outros já pensam em se desfazer do gado magro, antes que ele comece a perder mais peso.

No momento, muitas reclamações são ouvidas contra a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), empresa estatal vinculada ao Ministério da Agricultura que é a responsável pela administração e distribuição dos estoques reguladores de grãos do país e a quem compete abastecer os pecuaristas nordestinos com milho a preço subsidiado nos períodos em que existe escassez do produto na região.

Afirmam os criadores que tão logo se iniciou o período de chuvas no interior potiguar, por volta da segunda quinzena de fevereiro passado, a Conab praticamente desativou o seu programa de vendas em balcão nos diversos armazéns que a estatal mantém em Natal e outras cinco cidades do Estado (Mossoró, Caicó, Currais Novos, João Câmara e Pau dos Ferros), sempre alegando falta de milho ou falta de recursos para cobrir as despesas com o frete para trazer o produto das regiões produtoras.

Como estamos avançando no segundo semestre do ano e o milho da Conab (encarado como o socorro capaz de assegurar a sobrevivência da atividade pecuária nos momentos mais difíceis) continua sem chegar ao RN, os produtores rurais esboçam sinais de revolta e culpam abertamente o descaso da nossa classe política pelo problema.

E essa revolta parece aumentar quando o noticiário da televisão (que chega na casa de todo mundo) mostra a ocorrência atual de uma supersafra de milho nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, a ponto do preço da saca de 60 quilos ao produtor ter caído para menos de R$ 12,00, quando aqui no Estado as casas de ração cobram mais de R$ 50,00 pelo produto.

Se a Conab estivesse cumprindo bem o seu papel e não deixasse falta milho nos nossos armazéns, os pecuaristas inscritos no programa de vendas em balcão estariam pagando pelo produto pouco mais de R$ 20,00.

 

Sinduscon/RN divulgará amanhã nova pesquisa sobre nosso mercado imobiliário

O presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Rio Grande do Norte (Sinduscon/RN), engenheiro Arnaldo Gaspar Júnior, divulgará amanhã, às 8:30 horas, durante café da manhã com jornalistas natalenses na sede da entidade de classe, os resultados da segunda pesquisa trimestral sobre o mercado imobiliário da Grande Natal, realizada pelo instituto Consult.

Na ocasião, Arnaldo também concederá entrevista coletiva, quando falará sobre a situação em que se encontra esse dinâmico setor da economia estadual e responderá perguntas relacionadas com a pesquisa de mercado.

 

Empresários aguardam que a MP que desonera a folha de pagamento vire lei

Os empresários dos 56 setores da economia brasileira contemplados com a desoneração da folha de pagamento, autorizada pela Medida Provisória 651/2014, publicada no último dia 9 de julho no Diário Oficial da União pleiteiam agora que o benefício seja o quanto antes transformado em lei.

Isto porque somente através de lei a desoneração poderá se tornar permanente, extinguindo de vez a contribuição previdenciária de 20 por cento incidente sobre a folha de pagamento e substituindo-a pela aplicação de alíquota sobre o valor da receita bruta mensal, que pode ser de 1 ou 2 por cento, de acordo com a atividade à qual a empresa está enquadrada.

O receio do empresariado é que, não sendo a MP submetida ao Congresso Nacional e transformada em lei o quanto antes, ela perde a eficácia no prazo de 60 dias, prorrogável por igual período. E isto significa que, a partir de janeiro de 2015, a contribuição previdenciária de 20 por cento pode voltar a ser exigida.

A administradora e gerente da Rui Cadete Consultores, contabilista Érica Trindade, explica que “a desoneração da folha de pagamento tem por objetivo diminuir o custo dos encargos sociais e trabalhistas das empresas, estimular o registro dos empregados e a contratação de mais pessoas”.

Entre os setores da economia contemplados pela desoneração da folha de pagamento estão a construção civil, o comércio varejista, o transporte de passageiros, a manutenção e reparo de embarcações e muitos segmentos industriais.

 

Operadora Oi cresceu no mercado de telefonia móvel do RN no primeiro semestre

Foi de 2 por cento a taxa de crescimento da operadora de telefonia móvel Oi durante o primeiro semestre deste ano no Rio Grande do Norte, tomando-se por base o desempenho da empresa no mesmo período do 2013. Foram conquistados mais 31,3 mil novos clientes, com o que a Oi chegou a 30 de junho último bem perto de alcançar a marca de 1,6 milhão de usuários ativos no Estado.

 

OAB/RN: Comissão de Direito Tributário realizará evento sobre Refis da Copa

Para orientar a classe empresarial sobre os efeitos da Lei nº. 12.996, de 18 de junho de 2014, que reabriu até 29/08/2014 o prazo de adesão ao chamado “Refis da Crise” (regido originariamente pela Lei 11.941/2009 e pela Lei 12.249/2010) e criou o que está sendo chamado de “Refis da Copa”, a Comissão de Direito Tributário da OAB/RN (seção potiguar da Ordem dos Advogados do Brasil) promoverá no dia 14, das 14:30 às 17:00 horas, no auditório da entidade, uma palestra com os auditores fiscais Heloísa de Azevedo Cirne, Fernando Cortez de Souza, Sheyla Martorano de Souza e Aguinaldo da Silva Souza.

Segundo o presidente da Comissão, advogado Evandro Zaranza, os palestrantes apresentarão aos interessados no tema as alternativas para que sejam superadas dificuldades resultantes de possíveis atrasos no pagamento de pedidos anteriores de parcelamentos de débitos fiscais, e mostrarão que agora surge a oportunidade de se fazer os ajustes das pendências existentes.

Os empresários, advogados e contadores que desejem participar do encontro precisam fazer inscrição através do e-mail inscrição@oabrn.org.br, enviando nome completo e telefone, e dispondo-se a doar um quilo de alimento não perecível.

Compartilhar:
    Publicidade