Vereador afirma que governo é “perverso” e “falta com verdade”

O parlamentar criticou ainda o secretário de Saúde do Estado, Luiz Roberto Fonseca

O vereador Irani detalha a situação dos moradores que têm procurado o Deoclécio Marques para atendimento pediátrico nos últimos dias. Foto: Divulgação
O vereador Irani detalha a situação dos moradores que têm procurado o Deoclécio Marques para atendimento pediátrico nos últimos dias. Foto: Divulgação

O vereador de Parnamirim Irani Guedes (PRB) criticou o governo do Estado pelo fechamento, através da Secretaria Estadual de Saúde, do setor de pediatria do Hospital Regional Deoclécio Marques, ocorrido no último domingo 1º. O vereador classificou a atitude do governo Rosalba Ciarlini (DEM) como “perversa”, já que o cancelamento das atividades no setor de pediatria não levou em consideração um Termo de Ajustamento de Conduta assinado pelas secretarias de Saúde de Parnamirim e do Estado, que garantia o funcionamento da pediatria nas dependências do hospital de Parnamirim até que a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro de Nova Esperança fosse inaugurada e estivesse em pleno funcionamento.

Mesmo sabendo que a UPA de Nova Esperança ainda não está em funcionamento, mas com previsão de inauguração para março de 2014, a Secretaria Estadual de Saúde optou pelo fechamento do Pronto Socorro Infantil do Hospital Deoclécio Marques. Com o fechamento do setor, oito médicos pediatras deixaram de atender as crianças na cidade.

O vereador Irani detalha a situação dos moradores que têm procurado o Deoclécio Marques para atendimento pediátrico nos últimos dias. “A população está indo para o Hospital Deoclécio, o pessoal está informando que está com as portas fechadas, estão encaminhando para a UPA, mas a UPA (do bairro Rosa dos Ventos) não tem condições de atender à população por completo”. Com a falta de atendimento em Parnamirim, os moradores procuram ser acolhidos nos hospitais da capital. “Essas pessoas têm vindo a Natal procurar o Maria Alice ou o Santa Catarina, com crianças no colo. A população está sem saber o que fazer”, relata o vereador, que ressalta: “A forma como o governo do Estado, através da secretaria de Saúde, fez com Parnamirim é uma forma perversa, porque existia um acordo e por que quebrar três meses antes de inaugurar a UPA?”, questiona.

INVERDADE

O parlamentar criticou ainda o secretário de Saúde do Estado, Luiz Roberto Fonseca, que em entrevista essa semana afirmou que a UPA de Nova Esperança ainda não foi inaugurada porque a Prefeitura de Parnamirim não a equipou. Segundo Irani, a responsabilidade de compra de equipamentos para o funcionamento da Unidade era de responsabilidade do governo do Estado, segundo o que consta em um documento do Ministério Público.
“O secretário está faltando com a verdade, porque eu estou aqui com um documento no qual o Ministério Público diz que é responsabilidade do governo do Estado. O prédio está lá desde dezembro de 2012, praticamente pronto, mas essa parte é de responsabilidade do Estado”, contesta.

Apesar do impasse, o vereador explica que houve um acordo posterior, no mês de outubro, em que o prefeito de Parnamirim, Maurício Marques, concordou em receber R$ 1,2 milhão para equipar a UPA. Ele adianta que toda a parte de compra de móveis já foi concluída e que até o dia 10 de dezembro a licitação para compra dos demais equipamentos será concluída.

“Eu acredito que em no máximo 60 dias a empresa que ganhar entrega esses equipamentos e a previsão é que no mês de março essa UPA de Nova Esperança estará aberta”, afirma Irani Guedes.

Enquanto a UPA não é inaugurada, o secretário de Saúde de Parnamirim, Márcio César, e a Câmara Municipal tentam com o secretário de Saúde do Estado, fazer com que o setor de Pediatria volte a funcionar no Hospital Deoclécio Marques.

Compartilhar: