Vereador pede quebra de sigilo bancário da secretária de mobilidade da Prefeitura

Marcos do PSOL também quer fazer acareação entre Elequicina Santos e dirigente do Seturn

Marcos do PSOL ressaltou a importância da uma acareação porque, segundo ele, o que Elequicina Santos afirmou durante os depoimentos prestados na CEI foram contraditórios com relação ao do dirigente do Seturn. Foto: Divulgação
Marcos do PSOL ressaltou a importância da uma acareação porque, segundo ele, o que Elequicina Santos afirmou durante os depoimentos prestados na CEI foram contraditórios com relação ao do dirigente do Seturn. Foto: Divulgação

O vereador Marcos Antonio, do PSOL, apresentou nesta semana na Câmara Municipal de Natal um requerimento solicitando a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico do empresário Agnelo Cândido, presidente do Sindicato das Empresas de Ônibus do RN (Seturn) e da secretária municipal de Mobilidade Urbana (Semob), Elequicina Santos, e parte da sua equipe de auxiliares na pasta. Outro requerimento de autoria do vereador – que é membro da Comissão Especial de Investigação (CEI) que apura a demora na bilhetagem unificada – solicita investigação sobre que tipo de relação existe entre a Prefeitura e o Seturn.

“É patente que o governo Carlos Eduardo, seu secretariado e a Procuradoria Geral do Município são no mínimo omissos e coniventes com os desmandos e abusos patrocinados pelo Seturn”, criticou o vereador do PSOL. Marcos Antonio afirmou ainda à reportagem d´O Jornal de Hoje que está solicitando uma acareação entre Agnelo Cândido e a secretária Elequicina, para confrontar informações que os dois disseram durante os depoimentos da CEI.

“O objetivo é que eles esclareçam sobre depoimentos contraditórios que deram sobre a fiscalização da comercialização das passagens de ônibus e sobre a liberação de licenças para exploração de linhas por permissionários da Transcoop ou Cooptran”, justificou o parlamentar.

É necessário, também, explicar uma suposta clausula que impediria que os alternativos instalassem em seus veículos o mesmo sistema usado hoje no ônibus. O presidente do Seturn negou tal informação, mas o Sindicato do Transporte Alternativo (Sitoparn) disse ser verdade. “Se for, fica caracterizado que o Seturn teve má vontade política e é um dos responsáveis pelo não cumprimento da lei”, acrescentou Marcos.

O vereador disse ainda que aprofundou os estudos sobre o assunto e verificou que o sistema de coleta de dados no uso da passagem é aberto e o Seturn detém total controle e acesso aos dados sem nenhuma fiscalização por parte da Prefeitura de Natal. “O sistema é altamente vulnerável e susceptível a manipulação e por isso pode estar havendo minoração no valor de impostos devidos. É a raposa tomando conta do galinheiro”, acrescentou Marcos.

Esvaziamento

Apesar da postura mais crítica diante na CEI e das cobranças de explicações aos envolvidos no sistema de transporte coletivo de Natal, Marcos do PSOL revelou acreditar que o trabalho da Comissão “caminha para o esvaziamento”, porque segundo ele, não existe interesse de apuração por parte dos vereadores que a compõe, principalmente o presidente, vereador Hugo Manso. “Não existe o menor interesse em aprofundar as investigações para se chegar aos verdadeiros culpados pelo não cumprimento da lei”, analisou Marcos Antonio.

Compartilhar: