Vereador do Psol diz que aprovação da Reforma passa pelo G10

Nas previsões do vereador Marcos Antonio, o prefeito conta com 21 vereadores que certamente votarão favoráveis à aprovação da Reforma Administrativa

Marcos do Psol afirma que bancada real da oposição na Câmara é formada por ele, Sandro Pimentel, Amanda Gurgel e Lucena. Foto: Divulgação
Marcos do Psol afirma que bancada real da oposição na Câmara é formada por ele, Sandro Pimentel, Amanda Gurgel e Lucena. Foto: Divulgação

Joaquim Pinheiro

Repórter de Política

O vereador Marcos Antonio, do Psol, avalia que não será fácil a aprovação da reforma administrativa proposta pelo prefeito de Natal, Carlos Eduardo, segundo ele, por várias razões. A primeira é que se trata de matéria que exige maioria qualificada e regime de urgência. Além do mais, existem itens considerados polêmicos como por exemplo, a extinção de secretarias, aglutinação de órgãos públicos, criação de cargos e remuneração de servidores. “Qualquer matéria de interesse do governo só será votada se o G10 tiver de acordo”, disse o vereador do Psol, explicando que o G10 é um grupo de vereadores de partidos diferentes que decidiu se unir nas votações. Durante toda a manhã de hoje, vereadores participaram de uma Audiência Pública com representantes do prefeito para que o projeto de Reforma Administrativa fosse detalhado.

Nas previsões do vereador Marcos Antonio, o prefeito conta com 21 vereadores que certamente votarão favoráveis à aprovação da Reforma Administrativa, entretanto, está sendo constatado um novo bloco na Câmara Municipal de Natal denominado “Oposição Flutuante”, além dos “Independentes”, que de acordo com o vereador do Psol, em determinados momentos são mais fiéis do que os vereadores que compõem a bancada governista. De acordo com Marcos Antonio, oposição verdadeira só os vereadores Amanda Gurgel (PSTU), Fernando Lucena (PT), Sandro Pimentel e ele próprio, ambos do Psol. O vereador admite que a reforma tem pontos convergentes e divergentes. Ele cita como exemplo, a extinção da secretaria da Mulher, que segundo ele, deveria ser reestruturada em vez de extinta. “Apresentei uma emenda sobre o assunto, mas foi derrotada”, disse ele, citando ainda, o que chama de “aglutinação” da ouvidoria com a controladoria. “Esses órgão não têm estrutura para cumprir suas atribuições legais como está, imagine se forem aglutinadas”, observa o vereador Marcos Antonio, esclarecendo que ouvidoria é para ouvir as reclamações da população e a controladoria deve ser voltada para o setor de controle financeiro. “Atualmente, não fazem as duas coisas”, ressalta.

CANDIDATURA A GOVERNADOR

Instado a falar sobre a possibilidade de candidatura própria do Psol ao Governo do Estado,o vereador Marcos Antonio diz que continua sendo discutida e avaliada através de encontros e prévias internas. Amanhã mesmo, será realizada uma reunião do Diretório Estadual para definir regras e estratégias com vistas as eleições deste ano. Por ora não tem nada definido com relação a nomes”, disse ele.

Compartilhar:
    Publicidade