“Prefeito Carlos Eduardo quer passar por cima da Câmara”, ataca vereador

Matéria do executivo não teve apoio de 21 dos 29 parlamentares

uykuykrkykywaqaa

Joaquim Pinheiro

Repórter de Política

Vereadores de Natal, inclusive integrantes da base aliada, uniram-se na sessão desta última terça-feira para votar contra o veto do prefeito Carlos Eduardo a um projeto de autoria da vereadora Eudiane Macedo, do SDD, que dispõe sobre a obrigatoriedade de preenchimento de no mínimo 80 por cento dos caixas disponíveis nas instituições de vendas de gêneros alimentícios (supermercados e congêneres). Segundo o projeto, apesar de possuírem número de caixas suficiente, não o disponibilizam na sua totalidade para atender bem ao consumidor, causando assim, mal estar devido longas filas que se formam na hora da compra nesses estabelecimentos. A alegação do veto por parte do prefeito foi “inconstitucionalidade do projeto”, contestada pela autora do projeto.

A vereadora Eudiane Macedo, que pertence ao partido Solidariedade, integra a bancada do prefeito Carlos Eduardo e é considerada fiel aliada do prefeito de Natal, contesta a justificativa do executivo para vetar o seu projeto afirmando que antes de elaborar o projeto teve o cuidado de examinar a legalidade da matéria junto a sua assessoria jurídica. “Eu tinha a consciência da legalidade do projeto porque ele atende os direitos do consumidor e não do trabalhador, portanto, absolutamente constitucional”, esclarece a vereadora, que foi uma das surpresas da última eleição ao eleger-se pelo PHS com 2.078 votos numa coligação que contou também com o PTN – Partido Trabalhista Nacional. Na votação que rejeitou o veto do prefeito, votaram 21 dos 29 vereadores que integram a Câmara Municipal de Natal.

“O prefeito e o Ministério Público não respeitam a Câmara Municipal de Natal e estão querendo tirar as nossas atribuições. Só falta agora o Rei Momo interferir nos trabalhos legislativos”, ironizou o vereador Marcos Antonio, do Psol, enquanto Sandro Pimentel, também do Psol, que também votou contra o veto do prefeito de Natal, considerou o projeto de Eudiane Macedo “importante para levar comodidade aos usuários de supermercados”.

REFORMA ADMINISTRATIVA

Os vereadores participam de sessão ordinária no final da tarde desta quarta-feira para dar início ao processo de leitura, discussão e votação da Reforma Administrativa que entre outros assuntos está o polêmico pedido de extinção da secretaria Municipal de Mulher, que certamente não será aprovado pelos vereadores, inclusive integrantes da base aliada, que já se pronunciaram contrários.

Compartilhar: