Vereadores evangélicos do RN disputam espaço na Assembleia

Albert Dickson, Jacó Jácome e Bispo Francisco são os concorrentes

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Joaquim Pinheiro

Repórter de Política

Nos últimos anos tem aumentado significativamente a presença de representantes do segmento evangélico nas Casas Legislativas do País – Câmara Federal, Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais. Segundo o deputado estadual Antonio Jácome, do PMN, pré-candidato a deputado federal, o fenômeno é uma consequência natural do aumento da população brasileira.

“Há 30 anos a população evangélica era de 10% e atualmente esse número subiu para 30 por cento”, constata, afirmando que no Rio Grande do Norte o percentual de aumento dos evangélicos é praticamente o mesmo do nacional, de aproximadamente 25%. “Vemos isso com otimismo, mas sem ufanismo ou sectarismo religioso por entender que o evangélico tem mais compromisso com a leitura da Bíblia, obediência às leis e cidadãos mais conscientes, além da prática cristã”, completa, dizendo que o Estado tem uma população de 3 milhões e o número de evangélicos chega a 700 mil com dezenas de denominações.

Diante disso, a Assembleia Legislativa deverá ampliar a bancada evangélica a partir do próximo ano com a eleição de três vereadores de Natal, dois pertencentes à Assembleia de Deus – Jacó Jácome (PMN) e Albert Dickson (PROS) – e um integrante da Igreja Universal do Reino de Deus – Bispo Francisco de Assis (PSB). Todos com chances reais de vitória.

O vereador Jacó Jácome afirmou que entrou na vida pública por vocação e que esse ano disputará mandato de deputado estadual por convocação do partido e como forma de manter a cadeira do partido na Assembleia Legislativa, atualmente ocupada pelo seu pai, Antonio Jácome, que é evangélico, médico, jornalista e advogado.

O parlamentar, presidente do PMN no Estado, foi vereador e vice-governador do Rio Grande do Norte na primeira gestão Wilma de Faria. Jacó Jácome exerce o seu primeiro mandato de vereador e foi eleito com quase 6 mil votos conseguidos nos diversos bairros da capital. Sua atuação é voltada para a defesa dos movimentos sociais com projetos que priorizem a qualificação profissional e apoio à educação e cursos profissionalizantes.

Evangélico, vereador, compositor, sanfoneiro e cantor gospel, o Bispo Francisco de Assis tentará pela segunda fez uma vaga na Assembleia Legislativa. Na primeira, em 2010, ele foi candidato a deputado estadual e obteve quase 27 mil votos. Agora, está sendo convocado novamente pela Igreja Universal do Reino de Deus para disputar uma cadeira na Assembleia. “Não tenho estrutura financeira, mas tenho voto, tanto no Universal, como em outras denominações, inclusive na Igreja Católica onde às vezes frequento a missa e tenho amizade com alguns padres que acompanham meu trabalho”, disse o Bispo.

TRABALHO MUSICAL

Com quase 200 músicas gravadas e vários CDs, o vereador/cantor/sanfoneiro admite que o fato de ser artista gospel poderá lhe render votos e ajudar na sua eleição para deputado estadual. “Não conto com nenhuma liderança política, mas tenho votos espontâneos, de amizade e reconhecimento ao meu trabalho musical e parlamentar no exercício de 3 mandatos de vereador em Natal”, disse ele, lembrando que o fato de ser cantor já lhe levou a quase todos os Estados Brasileiros e a Países como Portugal, Angola e Moçambique. “No Brasil só não fui ainda a Porto Velho e Boa Vista”, conclui o Bispo Francisco de Assis.

Outro vereador evangélico candidato a deputado estadual é o presidente da Câmara Municipal de Natal, Albert Dickson. Pertencente à Assembleia de Deus, Albert é médico oftalmologista e auditor fiscal. Está no exercício do seu segundo mandato de vereador e realiza trabalho social atendendo à população de diversos bairros da capital.

SUPLENTES

Se forem eleitos deputados estaduais nas eleições deste ano, os vereadores Jacó Jácome, Bispo Francisco de Assis e Albert Dickson serão substituídos pelo advogado Joanilson de Paula Rêgo (PSDC), Cláudio Porpino (PSB) e Klaus Araújo, respectivamente. Joanilson foi candidato a vereador em 2012, quando obteve 2.088, Klaus Araújo foi votado por 3.953 natalenses e Cláudio Porpino conseguiu 3.508 votos.

É importante lembrar que esses não devem ser os únicos vereadores candidatos. Pelo menos um terço da Câmara será candidata no pleito deste ano.

Compartilhar:
    Publicidade