Torcedores dão “peixinho” em arquibancada e Arena das Dunas sofre com a chuva

Torcedor do Alecrim se empolgou e deu um "peixinho" nas arquibancadas inundadas do estádio

Torcedores tentaram se esconder aonde puderam. Foto: Divulgação
Torcedores tentaram se esconder aonde puderam. Foto: Divulgação

A Arena das Dunas não passou no teste da chuva. No final da tarde deste domingo (30), durante partida disputada entre América e Alecrim, pelo Campeonato Potiguar, o estádio ficou com setores das arquibancadas alagadas. Nem mesmo a área de imprensa ficou imune à água. O jogo terminou com a vitória do alvirrubro por 2 a 1 (Veja matéria na página 15).

O vexame da Arena das Dunas debaixo d’água acontece poucos dias depois do Governo do Estado anunciar o pagamento da primeira parcela de contraprestação pública pela construção e administração do estádio. Até dezembro de 2022, o Rio Grande do Norte pagará R$ 10,2 milhões a construtora OAS, responsável pela obra.

De 2023 em diante, o valor sofrerá uma redução. Ao final da conta, prevista para ser paga em 20 anos, os potiguares terão quitado uma dívida de aproximadamente R$ 1 bilhão à empreiteira.

Imagens de como ficou a situação do estádio durante o clássico natalense foram disponibilizadas nas redes sociais por torcedores e jornalistas presentes. Em vídeo, um alecrinense chega até a “mergulhar” na poça de água formada nas arquibancadas.

Várias fotografias divulgadas por jornalistas também expuseram a situação do espaço que será dedicado à imprensa mundial durante a maior competição esportiva do planeta. Equipamentos eletrônicos precisaram ficar cobertos para não receber chuva, papéis ficaram ensopados e a cobertura da partida foi totalmente prejudicada.

Nos relatos de torcedores e profissionais, praticamente em nenhum espaço da Arena foi possível escapar da chuva. “Uma obra milionária e a Arena das Dunas não suporta uma chuva. Todos os setores da suntuosa Arena alagados”, disse o radialista e narrador esportivo Marcos Lopes em seu perfil pessoal no Twitter.

Também na mesma rede social, o torcedor americano Thiago Nascimento relembrou o antigo estádio natalense, demolido para dar lugar a Arena. “No Machadão o cara não tomava banho de chuva não, mas na Arena das Dunas não tem um local que você fique abrigado do sol e chuva.”

Apesar da chuva, o sistema de drenagem do gramado funcionou normalmente e não prejudicou o andamento da partida. Mas, ao lado das quatro linhas, nos setores também utilizados pela imprensa e pelos jogadores reservas que precisavam se aquecer, o alagamento também foi visível.

A Arena das Dunas foi inaugurada em janeiro deste ano e custou R$ 396 milhões. A obra, construída pela construtora OAS, tem capacidade para 32 mil pessoas, mas receberá mais 10 mil durante os quatro jogos que Natal sediará na Copa, graças a arquibancadas móveis.

A capital potiguar terá as partidas entre Camarões x México, Japão x Grécia, Gana x Estados Unidos e Uruguai x Itália, sendo este último um dos mais badalados da primeira fase do mundial.

Esta reportagem tentou contato com o diretor-presidente do consórcio Arena das Dunas, Charles Maia, mas ele não atendeu ao telefone.

 

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

Foto: Divulgação
Foto: Divul

 

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhar:
    Publicidade