Vila japonesa inicia caça a baleias, exibindo carcaças a alunos

Evento anual acontece em Wada com objetivo perpetuar a tradição de captura desses animais na região

JAPAN-WHALING_-GOU1NUUVV.1

Para marcar o início da temporada de caça às baleias no Japão, os trabalhadores da cidade costeira de Minamiboso exibiram carcaças de animais capturados a estudantes e moradores, nesta quinta-feira. A demonstração ainda contou com a distribuição de amostras grátis de carne do mamífero frita.

O evento acontece anualmente na villa de Wada. Esta edição foi realizada a uma semana do começo oficial da primeira temporada de caça costeira no Japão, desde que o Tribunal Internacional de Justiça interrompeu a ação de um navio baleeiro japonês na Antártida, em março deste ano. Embora ambientalistas condenem a prática, o Japão alega que a carne do animal faz parte de seu patrimônio alimentar.

Wada se orgulha das suas tradições seculares e se esforça para ensinar sua cultura local e história às novas gerações. Apesar disso, 38 estudantes da escola primária da cidade não se mostraram necessariamente confortáveis ao assistir às cenas de corte das carcaças.

“Esta parte é a gordura. Se você está com medo, feche os olhos”, disse Yoshinori Shoji, presidente da companhia baleeira Gaibo Hogei, enquanto um dos trabalhadores serrava a pele e a gordura da baleia, expondo a carne escura e as entranhas.”Eles são tão hábeis”, disse um dos estudantes, ao passo que outros demonstravam reprovar a situação. “Pare! Isso é tão lamentável”, protestou um aluno.

Na semana passada, a empresa de Shoji já matou seis baleias. A empresa planeja pegar mais 24 antes do fim da temporada de caça a esses mamíferos, que termina no final de agosto.

Baleia é uma raridade na maioria das mesas japonesas, mas os moradores Wada chegam a comê-la regularmente em casa e na merenda escolar. Em Wada, lojas de souvenirs, restaurantes e supermercados estão por todos os lados, vendendo produtos de carne de baleia e servindo pratos que vão de sushi de baleia a carne de baleia frita.

“Aqui em Wada comemos baleias. Cada família come baleia, pelo menos, uma vez durante a temporada de caça às baleias verão”, disse o professor do alunos que assistiram ao corte das carnes, Michiyo Masuda. “Se as comemos, temos a responsabilidade de ver e aprender como são preparadas.” Na escola de Michiyo, estudantes do ensino fundamental estudam biologia das baleias, a história da caça a esses animais e como cozinhar a carne.

O Programa Baleeiro Internacional do Japão sofreu um golpe quando o Tribunal Internacional de Justiça (CIJ) ordenou a suspensão de seu programa de “caça científica” na Antártida, em março. Mas o país sustenta a ideia de que muitas espécies de baleias não sejam ameaçadas. Além disso, desde 1987, começou a promover o que chama de caça científica a estes animais.

 

 

Fonte: O Globo

Compartilhar: