Vivaldo Costa: “Não é Lobão quem vai dizer o palanque que vou subir”

Deputado rebate vereador caicoense que vetou sua presença no palanque

Vivaldo Costa: “Lobão não tem poder de dizer quem vem e quem não vem apoiar Henrique Eduardo ou Garibaldi Filho”. Foto: Divulgação
Vivaldo Costa: “Lobão não tem poder de dizer quem vem e quem não vem apoiar Henrique Eduardo ou Garibaldi Filho”. Foto: Divulgação

Joaquim Pinheiro

Repórter de Política

O deputado Vivaldo Costa, do PROS, respondeu às críticas feitas a ele pelo presidente da Câmara Municipal de Caicó, vereador Raimundo Inácio (Lobão), considerados inimigos históricos na política caicoense há vários anos. Em entrevista a ´O JORNAL DE HOJE, edição da última terça-feira, o vereador Lobão vetou a presença do deputado Vivaldo Costa num provável palanque do PMDB e PROS, partido liderado no Estado pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ricardo Motta. “Não aceito subir no mesmo palanque em que esteja Vivaldo Costa”, disse o vereador Lobão”, lembrando que o parlamentar do PROS é tradicional adversário do PMDB no município de Caicó. Em seguida, o peemedebista questiona: “Como é que ficará o nosso palanque nas eleições de 2016? Vivaldo apoiará a reeleição do prefeito Roberto Germano?

Em entrevista a imprensa caicoense, o deputado Vivaldo Costa afirmou que “Lobão não tem poder de dizer quem vem e quem não vem apoiar Henrique Eduardo. Quem vai e quem não vai votar em Garibaldi. Não é Lobão que vai decidir. Mas se for feito um acordo tenha certeza de uma coisa: eu tenho meu palanque há 40 anos. Aliança não é novidade, há 65 anos Dinarte, que é meu líder, fez uma com o PMDB, que na época chamava-se PSD. Não é Lobão que vai dizer o palanque que vou subir. Pode anotar aí Lobão: não subirei nunca num palanque com você, pode ter certeza disso, vou ficar no meu palanque apoiando quem quiser apoiar”.

ALIANÇA PSB/PMDB

Vivaldo Costa reportou-se também sobre uma possível aliança política entre o PSB da vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria e o PMDB do deputado Henrique Eduardo e Garibaldi Filho. Disse que “o grande sonho de Wilma é chegar ao Senado”. Ele avalia que no Senado da República a ex-governadora terá condições de ajudar muito ao Seridó. Vivaldo Costa reconhece que numa aliança com o PMDB o Senado fica mais próximo de Wilma e que tem torcido por essa possibilidade.

Na sua análise sobre a política do Rio Grande do Norte e a criação do Partido da Reconstrução e da Ordem Social no Estado, o deputado estadual Vivaldo Costa entende que o seu partido “nasceu muito próximo dos Alves e Henrique Eduardo interferiu para Ricardo Motta assumir o comando da legenda no Rio Grande do Norte”.

Vivaldo diz que seu compromisso é com Wilma, mas não descarta apoio ao PMDB

Segundo Vivaldo Costa, diante das circunstâncias é natural que o PROS venha a apoiar um candidato do PMDB ao Governo do Estado. Quanto à hipótese dele (Vivaldo) apoiar uma candidatura do PMDB, o próprio Vivaldo esclarece: “Meu compromisso é com Wilma. Se ela for candidata ao governo, voto com ela, mas pessoalmente torço para que Wilma faça uma composição com o PMDB e seja candidata ao Senado. Wilma no Senado da República será importantíssima para o Seridó. Ela poderá fazer muito pelo Estado e pela nossa região. Acho que é legítima essa aliança. Eu já cansei de votar na contramão. Quero votar onde Ricardo Motta votar, com uma exceção: se Wilma for candidata ao governo, eu votarei nela e irei desobedecer o PROS. Se isso não acontecer, seguirei o partido”.

OPORTUNIDADE DO PMDB

Sobre o atual cenário político, Vivaldo Costa disse o seguinte: “Nenhuma família do mundo (Alves, Rosado, Maia, Costa…) tendo condições de ter um membro governador do Estado, perderia essa oportunidade. Os Alves têm toda condição de fazer um deles governador. Precisa apenas ser feita uma engenharia política, coisa que Henrique Eduardo tem desempenhado com competência para atrair Wilma nesse projeto. Desta maneira teremos um governador apoiado por muitos partidos numa frente ampla, no desejo de resolver o grave problema de falta de recursos e endividamento do Estado. Para sair desta crise a solução é esta, o caminho é este: uma aliança ampla com todos os partidos, com a finalidade de salvar o Rio Grande do Norte. Mas para tudo isso ter resultado favorável é preciso ter Wilma de Faria neste palanque”, concluiu Vivaldo Costa.

Compartilhar: