Vocalista do Ultraje a Rigor troca farpas com Astrid Fontenelle: “Mau caráter”

Roger e apresentadora do "Saia Justa" discutiram pelo Twitter nesta sexta (28). "Depois de incitar o ódio e o linchamento moral no seu programinha de fofocas vem dar de santa"

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Roger Moreira, do “Ultraje a Rigor”, trocou farpas com Astrid Fontenelle no Twitter após ver seu nome ser mencionado no programa “Saia Justa”, do GNT, nessa quinta-feira (28). Isso porque no quadro “Orgulho pela Pessoa e Vergonha pela Pessoa”, a apresentadora criticou o músico por ele ter chamado o jornalista e escritor Marcelo Rubens Paiva de “seu bosta” após comentário dele durante a 12ª Festa Internacional de Literatura (Flip).

Roger escreveu: “Vale tudo pela audiência. Até seus julgamentos superficiais. Isso você acha decente, né? Linchamento…”. A apresentadora também usou a rede social para se defender. “Eu não falei isoladamente sobre você. Foi um editorial do programa e todas concordamos”.

Mais tarde, Astrid publicou: “Abri aleatoriamente meu livrinho de orações. A oração de São Francisco foi uma das primeiras que aprendi. Sei de cor. Em tempos de tanto ódio ela vem na hora certa! Por uma vida com mais amor, por favor!”.

O post da apresentadora foi satirizado por Roger. “Ah, que bonitinho, rezando! Pena que seus atos te contradigam. Hipócrita! Olha a falsidade: ‘que eu leve a paz, que eu leve o amor, que eu leve o perdão’, é muito cínica!”. Ele ainda completou: “Mau caráter. Depois de incitar o ódio e o linchamento moral no seu programinha de fofocas vem dar de santa! “Que eu leve o perdão”… Esquerda caviar hipócrita. Nojo”.

Bárbara Gancia, que também participa do programa, entrou na discussão.“Odeio ver vocês dois em briga tão séria. Sei o que é ser continuamente agredida, muitas vezes não pesa além do necessário o revide. Torço pela paz”, escreveu. “Basta que ela se retrate da asneira que disse na TV”, rebateu Roger.

“Seu bosta”

Em uma mesa sobre os 50 anos do golpe militar, Marcelo Rubens Paiva lamentou o fato de muitas pessoas desconhecerem o que foi ditadura no Brasil e citou Roger, dizendo que o roqueiro, que antes escrevia músicas sobre as Diretas Já e críticas ao regime militar, teria se convertido ao conservadorismo.

Roger, rebateu: “É compreensível que você considere o comunismo legal. Mas daí a me usar de exemplo na Flip foi canalha de sua parte. E errado”. O roqueiro continuou: “E tem mais, seu bosta: minha família não foi perseguida pela ditadura porque não estava fazendo merda”.

Fonte: IG

Compartilhar:
    Publicidade