Você é um fumante passivo? Saiba quais são os riscos à saúde

Quem fuma passivamente normalmente apresenta alguns problemas imediatos

Fumaça ingerida de forma passiva pode ser ainda mais prejudicial para a saúde. Foto: Divulgação
Fumaça ingerida de forma passiva pode ser ainda mais prejudicial para a saúde. Foto: Divulgação

Diversos lugares do Brasil já possuem leis que proíbem o consumo de cigarros em ambientes fechados. Mesmo assim, muitas pessoas ainda são obrigadas a conviver com outras que possuem o hábito de fumar. Se você se enquadra como um fumante passivo, saiba que nessa condição você também está exposto a alguns dos variados males associados ao cigarro.

Quando considerar um fumante passivo

O fumante passivo é considerado aquele que, sem ter o hábito de fumar, está exposto com frequência ao ar contaminado pela fumaça do tabaco. Esse ar é composto pela fumaça que emana do cigarro e pela fumaça que a pessoa solta após tragar o cigarro.

E acredite: alguns estudos indicam que esse ar contaminado pela fumaça do tabaco é ainda mais prejudicial que a fumaça que a pessoa que fuma coloca para dentro dos pulmões, porque possui maiores concentrações das substâncias prejudiciais à saúde contidas no cigarro.

Antigamente, acreditava-se que ser fumante passivo não resultava em maiores problemas, exceto leves, como a irritação dos olhos. Mas os estudos avançaram e, hoje, sabe-se que ele apresenta mais alterações respiratórias, cardíacas e outras se comparado com pessoas que não convivem com o ar contaminado pela fumaça do tabaco.

Quem fuma passivamente normalmente apresenta alguns problemas imediatos, como irritação nos olhos, no nariz, na garganta ou nos pulmões. Dependendo da tolerância da pessoa à fumaça do cigarro, é possível também a presença de dor de cabeça e náuseas. Mas não é só isso, já que existem outros riscos à saúde.

Doenças relacionadas ao fumante passivo

– Câncer de pulmão: muitas evidencias indicam que estar exposto à fumaça do tabaco de forma regular, mesmo que a pessoa não seja fumante, é uma das causas do câncer de pulmão em pessoas que não fumam. Estima-se que o risco aumente em 20% para as mulheres e em 30% para os homens.

– Infarto: pesquisas revelam que inalar a fumaça do cigarro sem ser fumante é circunstância que está associada com enfermidades do coração. Quem é fumante passivo têm o risco de infarto aumentado entre 25% a 35%.

– Enfisema: acredita-se que a fumaça do cigarro pode ser uma das causas do enfisema pulmonar em adultos que não fumam.

Crianças também são afetadas

Com relação às crianças, o problema é ainda maior. Caso elas se enquadrem como um fumante passivo, têm aumentadas as chances de desenvolver pneumonia, bronquite e asma.

Além disso, levantamentos demonstram que os filhos de pais fumantes apresentam em maior quantidade problemas respiratórios, crises asmáticas e otites do que os filhos de pais que não fumam. Portanto, se você tem crianças pequenas em casa, procure largar o vício do cigarro ou, então, jamais fume perto delas.

Tabagismo e gravidez

Você sabia que se a mulher que está grávida fuma, o feto pode ser considerado um fumante passivo? E isso pode causar uma série de problemas ao longo da gravidez, como desprendimento precoce da placenta ou uma posição incorreta da placenta, o que pode trazer complicações não apenas para essa fase, como também para o parto.

Fonte: Terra

Compartilhar: