“Pensou que eu não teria coragem?” disse funcionário antes de matar chefe

De acordo com testemunhas, desentendimento entre os dois seria por causa da escala de trabalho

Reinaldo (e) foi assassinado por Felismino (d) por ele não concordar com a escala de trabalho. Foto:Divulgação
Reinaldo (e) foi assassinado por Felismino (d) por ele não concordar com a escala de trabalho. Foto:Divulgação

Reinaldo, 55 anos, chefe responsável pela escala de trabalho em uma empresa de água e energia de Mogi das Cruzes, foi morto a tiros por um colega de trabalho. Um outro funcionário foi atingido e está internado em estado gravíssimo. O suspeito, Felismino Martins de Oliveira, de 58 anos, confessou o crime.

Além de trabalharem juntos, Oliveira e Reinaldo eram colegas e moravam no mesmo bairro em Biritiba Mirim, cidade vizinha de Mogi das Cruzes. Funcionários afirmaram que as brigas já foram frequentes, mas que desde dezembro os dois não eram mais chefe e subordinado.

Duas testemunhas que trabalham no local contaram que o suspeito entrou na sala embriagado, com uma arma na cintura e disse para a vítima: Você pensou que eu não teria coragem?

O Engenheiro civil, Josemar Garcia dos Santos, de 58 anos, também foi atingido pelos tiros. Ele está internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em estado gravíssimo.

Testemunhas afirmaram em depoimento que a intenção do homem era atingir outras pessoas que também estavam na sala, mas foi impedido pelos seguranças.

Oliveira esperou algumas horas para confessar o crime e se apresentou na delegacia da cidade. Alguns colegas de trabalho que foram ouvidos pela polícia afirmaram que o desentendimento entre os dois era em função da escala de trabalho.

 

Compartilhar: