Wilma de Faria assume postura de candidata ao Governo do RN

A propaganda do PSB cita ainda programas deficientes da gestão Rosalba Ciarlini, além de falhas administrativas

Wilma propaganda do PSB para criticar gestão de Rosalba Ciarlini. Foto: Divulgação
Wilma propaganda do PSB para criticar gestão de Rosalba Ciarlini. Foto: Divulgação

A presidente estadual do PSB, ex-governadora Wilma de Faria, assumiu postura de pré-candidata ao governo do Rio Grande do Norte, ao aparecer nesta segunda-feira, na propaganda partidária do PSB, criticando duramente a gestão Rosalba Ciarlini (DEM).

No discurso, Wilma divisa a posição do PSB em relação aos demais partidos, deixando claro que o PSB jamais apoiou à gestão estadual, diferentemente de legendas recém-chegadas à oposição, como PMDB e PR. “O PSB não votou no atual governo. O PSB não apoiou o atual governo. O PSB não participou do atual governo”, repete ela, numa das seis inserções veiculadas. Ao todo, 18 inserções estão indo ao ar, sendo dez nesta segunda, seis hoje, e duas na sexta.

“Em 2010, prometeram ao RN um governo que iria fazer e acontecer”, diz Wilma, se referindo ao lema de campanha da então candidata Rosalba Ciarlini, na época apoiada fortemente pelo então candidato ao Senado e ex-governador Garibaldi Filho (PMDB), hoje na oposição após o rompimento do PMDB, em julho passado.

Com o discurso, Wilma atinge o PMDB, que foi governo durante três anos, ou quase mil dias. “O PSB não acreditou nos planos do atual governo”, diz a ex-governadora, apontando que, outros partidos, como é o caso do PMDB, acreditaram. “PSB, sempre oposição ao governo que não sabe fazer, nem acontecer”, completa o locutor.

A propaganda do PSB cita ainda programas deficientes da gestão Rosalba Ciarlini, além de falhas administrativas de domínio público, sempre destacando o papel de oposição do PSB em relação ao governo estadual.
“Quando o atual governo sucateou as centrais do cidadão, o PSB fez oposição. Quando o atual governo negou o apoio ao homem do campo, o PSB fez a oposição. Quando o atual governo desrespeitou o funcionalismo, o PSB fez oposição. Quando o atual governo deixou crescer a insegurança, o PSB fez a oposição. O PSB sempre fez oposição ao atual governo, que nem fez, nem aconteceu”, afirma.

CONVOCAÇÃO

Numa outra inserção, a ex-governadora Wilma de Faria aparece convocando a população para “um novo projeto para o estado”. “Você já sabe que no atual governo o RN parou. Mas isso tem que mudar. O nosso estado tem que recuperar o tempo perdido e avançar. O PSB quer a sua participação em um novo projeto para o estado. Venha para o PSB, e vamos juntos voltar a fazer o RN diferente e mais justo, mais forte e melhor”, convida.

Além de convocar a população para “juntos voltar a fazer o RN diferente e mais justo”, a propaganda do PSB destaca que a legenda “sabe governar”, fazendo o contraditório com o atual governo. “Atrasar o pagamento do funcionalismo, o atual governo sabe fazer. Acabar com os serviços de pediatria em hospitais de referência, o atual governo sabe fazer. Fechar os CEDUCS impedindo a punição assistida aos jovens adolescentes infratores, o atual governo sabe fazer”, diz o texto, com Wilma concluindo: “Infelizmente, o que o atual governo não sabe fazer é governar, e melhorar a vida das pessoas”.

Noutra inserção, o PSB reforça a inabilidade administrativa do governo Rosalba. “Atrasar pagamento dos servidores, diminuir o programa do leite, paralisar a obra da Prudente de Morais, abandonar o homem do campo, deixar aumentar a insegurança pública, acabar com o desenvolvimento solidário, tudo isso, o atual governo sabe fazer”.

Numa última inserção o PSB recorda as promessas de campanha de Rosalba e cita obras paralisadas. “Em 2010, prometeram ao RN, o governo que iria fazer e acontecer. De lá para cá, o incentivo à UERN, parou. O Terminal Pesqueiro de Natal parou. O programa das centrais do trabalhador parou. O apoio aos municípios para assistência farmacêutica parou”. Ao final Wilma conclui: “A grande verdade é que, após três anos, infelizmente o RN parou”.

Compartilhar:
    • Antonio

      é realmente acreditar na fraca memoria do povo,nem saúde,nem segurança nem ceduc´s,e muito menos educação onde no seu desgoverno fomos o lanterninha,ou seja não ha diferença de um para o outro,fomos enganados no seu desgoverno senhora das denuncias de corrupção e estamos sendo nesse.onde estar a diferença?