Zidane pede esclarecimento dos critérios para o prêmio

Zidane recebeu uma Bola de Ouro, em 1998

A declaração de Zidane foi feita depois de jornais espanhóis acusarem a entidade de cometer irregularidades na votação. Foto: Divulgação
A declaração de Zidane foi feita depois de jornais espanhóis acusarem a entidade de cometer irregularidades na votação. Foto: Divulgação

O francês Zinedine Zidane afirmou que a Fifa poderia tornar mais claro os critérios para a escolha do melhor jogador do ano, que recebe o prêmio Bola de Ouro. A declaração de Zidane, concedida ao Canal+, da França, foi feita depois de jornais espanhóis acusarem a entidade de cometer irregularidades na votação.

No entanto, o atual auxiliar técnico do Real Madrid não questionou a vitória de seu jogador, Cristiano Ronaldo, que superou Franck Ribéry, do Bayern de Munique, e Lionel Messi (Barcelona).

“Não se pode se falar de escândalo, mesmo se Franck merecesse sem dúvida alguma um reconhecimento por sua temporada. Mas os 69 gols marcados por Cristiano fazem a diferença”, disse Zidane.

“Os critérios são muitos, mas três prevalecem: os feitos com o clube, os feitos individuais e a imagem. Para o próximo prêmio, poderiam esclarecer isso tudo, mas para mim é um título individual, uma recompensa pelos feitos no gramado. Mesmo que Franck tenha sido excepcional, o outro [Ronaldo] marcou 69 gols”, completou.

Zidane recebeu uma Bola de Ouro, em 1998, na época em que a premiação era organizada pela revista France Football, ainda sem participação da Fifa, e agraciava o melhor jogador europeu do mundo. Nesse período, a Fifa concedia outro prêmio, de melhor do mundo, vencido por Zidane em 1998, 2000 e 2003.

Técnico

Atualmente auxiliar técnico do Real Madrid, Zidane também comentou um possível futuro como treinador – na semana passada, ele recebeu um diploma em gerência esportiva pelo Centro de Direito e Economia do Esporte, um dos locais mais prestigiados no assunto na França.

“Recebi um primeiro certificado. Em um momento da vida, você percebe que falta algo, então quis me provar e entrar em uma nova aventura. Hoje, esse projeto inclui estar em contato com os jogadores e transmitir a eles tudo que eu vivi na minha carreira.”

“Estou começando neste caminho, aprendendo o que se deve ou não fazer. Continuo com minha formação para um dia treinar uma equipe”, concluiu o francês.

 

Fonte: Uol

Compartilhar: